top
De Paciente

para Paciente


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Apoio

[CÂNCER DE OVÁRIO] Silvana Himenes

Aprendendo Com Você



Essa entrevista foi preenchida em 26/06/2016

  • Instituto Oncoguia - Quem é você? (idade, profissão, tem filhos, casada, cidade e estado?) Silvana - Meu nome é Silvana Himenes, tenho 42 anos e trabalhava como artesã na minha cidade em Colatina, ES. Sou divorciada e tenho uma filha de 20 anos.
  • Instituto Oncoguia - Como foi que você descobriu que estava com câncer? Silvana - Só descobri quando eu já estava sentindo muito falta de ar e a barriga muito grande. Depois de ter ido à vários médicos e ninguém sabia o que eu tinha, dei entrada no pronto socorro e no mesmo dia fui operada e descobriram que era câncer de ovário.
  • Instituto Oncoguia - Você apresentou sinais e sintomas do câncer? Quais? Silvana - No início de 2014 comecei me sentir fraca e sem ânimo, algumas tonturas e procurei um médico que diagnosticou sendo labirintite. Passado uns meses, comecei a sentir dores leves na barriga e ardência ao urinar, então fui em uma ginecologista do sus que não me examinou direito e só pediu o preventivo. Passado uns dias começou tosse, procurei um médico e ele disse não ser nada e nem pediu radiografia. Então as coisas só foram piorando, minha barriga começou a crescer muito, procurei um ginecologista particular e ele pediu alguns exames.
  • Instituto Oncoguia - Quais dificuldades você enfrentou para fechar o seu diagnóstico? Silvana - Muitas dificuldades, como disse acima, passei por vários médicos e ninguém descobria. Mesmo com o exame endovaginal em mãos, o médico achava que era um cisto. Fui dias antes no mesmo hospital que operei e eles me mandaram pra casa porque não tinha ginecologista e meu exame de sangue não estava ruim, dois dias depois eu tive derrame pleural e hemorragia.
  • Instituto Oncoguia - Como você ficou quando recebeu o diagnóstico? O que sentiu? No que pensou? Silvana - Foi um susto muito grande e uma tristeza profunda. Pensei que ia morrer e pensava muito na minha filha.
  • Instituto Oncoguia - Qual foi a sua maior preocupação neste momento? Silvana - Minha maior preocupação era se eu ia sofrer muito ou morrer. Tive que abandonar filha, namorado e casa e fui morar em outra cidade para fazer meu tratamento.
  • Instituto Oncoguia - Você já começou o tratamento? Em que parte do tratamento você se encontra nesse momento? Se já finalizou, conte-nos um pouco sobre como foi enfrentar todos os tratamentos? Silvana - Comecei no dia 18/09/14. Estou fazendo quimioterapia pela terceira vez, pois tive recidiva. Foi muito difícil pra mim, pois tenho que ficar longe de casa e os medicamentos da quimioterapia me deixam muito fraca, tive que passar por mais 2 cirurgias. Minha vida é em função do meu tratamento.
  • Instituto Oncoguia - Em sua opinião, qual é o tratamento mais difícil? Por quê? Silvana - Quimioterapia é muito difícil porque eu fico fraca, inchada e estou careca. Além disso, sofri bastante com as cirurgias.
  • Instituto Oncoguia - Você sentiu algum efeito colateral diante ao tratamento? Como lidou com isso? O que te ajudou? Silvana - Sinto enjoo e fraqueza. Mudei minha alimentação e os efeitos diminuíram bastante.
  • Instituto Oncoguia - Como foi/é a sua relação com seu médico oncologista? Silvana - Sempre foi muito boa.
  • Instituto Oncoguia - Você se relacionou com outros profissionais? Se sim, quais e por quê? Silvana - Não.
  • Instituto Oncoguia - Você fez ou faz acompanhamento psicológico? Se sim, conte-nos um pouco sobre a importância desse profissional nessa fase da sua vida. Silvana - Não.
  • Instituto Oncoguia - Como está a sua vida hoje? Silvana - Eu estou aposentada pelo SUS e continuo o tratamento, quando estou bem tento ter uma vida normal.
  • Instituto Oncoguia - Você continua trabalhando ou parou por causa do câncer? Silvana - Parei, mas faço alguns artesanatos quando estou bem.
  • Instituto Oncoguia - Você buscou seus direitos? Se sim, quais? Silvana - Passei na perícia e não precisei de recorrer a justiça.
  • Instituto Oncoguia - Quais são seus projetos para o futuro? Silvana - Ficar curada. Pretendo voltar trabalhar e viajar, curtir a família.
  • Instituto Oncoguia - Que orientações você daria para alguém que está recebendo o diagnóstico de câncer hoje? Silvana - Para que procure seus direitos e que lute por novos tratamentos, se alimente corretamente não abandone o tratamento e tenha muita fé.
  • Instituto Oncoguia - Como você conheceu o Oncoguia? Silvana - Pelo grupo somos mais que vencedoras, câncer de ovário. No Facebook.
  • Instituto Oncoguia - Você tem alguma sugestão a nos dar? Silvana - Gostaria que nos dessem ajuda para conseguir nossos direitos por novos tratamentos e novas pesquisas.
  • Instituto Oncoguia - O que você acha que deveria ser feito para melhorar a situação do câncer no Brasil? Deixe um recado para os políticos brasileiros! Silvana - Mais pesquisas, mais empenho e agilidade pois cada dia cresce mais o número de pessoas com câncer e muitos não tem cura ainda. Como o tratamento oncológico é muito caro e no meu caso não posso pagar cresce ainda mais o sofrimento da espera que o SUS libere. Queremos também o direito de viver.



A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2017 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive