top
De Paciente

para Paciente

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Boehringer Eisai Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

[CÂNCER DE MAMA] Virginia Melo

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 29/04/2015 - Data de atualização: 29/04/2015


Instituto Oncoguia - Você poderia se apresentar?

Virginia Melo - Me chamo Virginia Melo, sou psicoterapeuta, tenho 53 anos e três filhos: uma menina de 22 anos, um menino de 24 e uma menina de 27 anos. Sou divorciada e tenho um namorado que mora comigo desde que fiz a cirurgia.

Instituto Oncoguia - Como você descobriu que estava com câncer?

Virginia Melo - Eu faço USG de mama e mamografia, anualmente. Tinha seis meses que havia feito os exames e um dia arrumando alguns papéis, peguei a USG que tinha dado um nódulo BIRADS 3, sempre dava, era controlado. Tive uma sensação desagradável e ouvi uma voz interior dizendo para repetir o exame. Foi tão forte que liguei no mesmo instante para agendar. O médico com quem eu sempre fazia só teria vaga após 02 meses, pedi para marcar com o médico que tivesse disponibilidade logo, consegui para a mesma semana. O médico que fez a USG diagnosticou BIRADS 4, marcou logo uma punção. Procurei o médico que estava com a agenda apertada e ao falar-lhe ele me indicou um mastologista que ele acompanhava nas punções e marquei com os dois. Na punção o resultado deu indeterminado.

Então ele pediu um core biopsy que também deu indeterminado Marcamos uma cirurgia e a biópsia deu carcinoma in situ

Instituto Oncoguia - Como você ficou quando recebeu o diagnóstico? O que sentiu?

Virginia Melo - Eu fui me preparando. Primeiro eu tenho muita fé e depois como terapeuta passei a fazer as técnicas que costumo utilizar com os outros. Fiz muito EFT, que é uma técnica de acupuntura sem agulha, é muito boa , pude constatar. No dia em que peguei o resultado da biópsia, estava na sala de espera ansiosa e comecei a praticar EFT, pedindo calma, equilíbrio e que eu escolhia ficar bem. Entrei na sala e quando o médico falou o resultado eu estava totalmente tranquila, até demais. Ele falou da mastectomia, me indicou um cirurgião plástico e eu calmíssima. Era como se eu já estivesse esperando por tudo isso. Meu espírito estava preparado para isso, eu tinha consciência dessa necessidade.

Instituto Oncoguia - Qual era a sua maior preocupação neste momento?

Virginia Melo - Procurar continuar tranquila, passar serenidade para as pessoas do meu convívio, agilizar os documentos necessários para a realização da cirurgia.

Instituto Oncoguia - O que aconteceu depois disso?

Virginia Melo - Continuei trabalhando normalmente enquanto aguardava o trâmite dos documentos. Permaneci tranquila, alegre, positiva, não parecia que estava passando por isso. E este meu comportamento contagiou as outras pessoas que também ficaram bem.

Instituto Oncoguia - Você já começou o tratamento?

Virginia Melo - Fiz a mastectomia radical, não precisei fazer nem quimioterapia nem radioterapia, já que o tumor era in situ. Comecei em janeiro de 2013 a tomar Tamoxifeno, que tomarei por um período de 5 anos. Engordei um pouco mas não posso colocar a culpa toda no Tamoxifeno, preciso me exercitar e mudar meus hábitos alimentares. Sinto muita dormência nas mãos, braços e pernas e as ondas de calor que nos 3 primeiros meses eram piores.

Instituto Oncoguia - Como foi a relação com o seu médico?

Virginia Melo - A relação médico paciente tem que ser baseada na confiança, no respeito. É bom saber que qualquer coisa que precisar você pode ligar e será bem acolhida. Tenho um ótimo relacionamento com o meu mastologista e com o meu cirurgião plástico, são dois amores. Parabéns aos dois pela competência, sensibilidade e carinho que transmitem.

Instituto Oncoguia - Com que outro profissional você se relacionou?

Virginia Melo - Tenho um oncologista que foi indicado por uma colega que fez tratamento com ele. Já fui três vezes a ele, é uma pessoa bem tranquila

Instituto Oncoguia - Você fez acompanhamento psicológico?

Virginia Melo - Trabalho comigo mesma. Faço meditação, relaxamento, trabalho a respiração, PNL, EFT e me sinto bem resolvida.

Instituto Oncoguia - Você está em tratamento ou já finalizou?

Virginia Melo - Vou fazer ainda o mamilo e a simetria da outra mama.

Instituto Oncoguia - Como está a sua vida hoje?

Virginia Melo - Eu diria que melhor do que antes. Eu estava querendo ter tempo para me dedicar a meus atendimentos terapêuticos, estudar, ler, intensificar trabalhos voluntários. Antes trabalhava o dia todo e não tinha esse tempo. Agora estou buscando realizar o que desejava. Tenho muitos projetos que espero poder concretizá-los

Instituto Oncoguia - Conte-nos sobre seu trabalho e planos para o futuro.

Virginia Melo - Eu trabalhava na Secretaria Municipal de Saúde, o dia todo, não tinha quase tempo nenhum para atender que é o que realmente gosto de fazer. Após um mês da minha cirurgia, meu cargo foi extinto e automaticamente fui exonerada, continuo afastada pelo INSS. Fiz um blog, tenho a página no face, participo de grupos sempre voltada para dar força, orientação terapêutica principalmente às mulheres mastectomizadas. Estou fazendo um programa em uma rádio web, e me dedicando aos atendimentos. Tenho alguns projetos para colocar em prática, trabalhando também com comunidades.

Instituto Oncoguia - Que orientações você daria para alguém que está recebendo o diagnóstico de câncer hoje?

Virginia Melo - Tentar manter a calma, procurar saber tudo que pode ser feito para superar a doença, buscar orientação de um bom profissional, exercitar e fortalecer a fé. Buscar apoio das pessoas queridas, família e amigos. Ajuda terapêutica é muito importante nas diversas fases da doença, para trabalhar a autoestima, evitar quadros depressivos, trabalhar as crenças.

É muito importante a aceitação. Aceitar é admitir e partir para a luta com consciência.

Nunca perguntar "por que” e sim "para que” . O que a doença está querendo me mostrar? O que preciso mudar para estar bem? Reprogramar sua vida, buscar qualidade de vida. Trabalhar os pensamentos e as emoções, lembrando que estados emocionais positivos regeneram.

Instituto Oncoguia - Qual a importância da informação durante o tratamento de um câncer?

Virginia Melo - É muito importante, mas tem que saber selecionar. Evitar informações negativas, casos dramáticos, e não se enxergar em todas as situações, fazer uma triagem e só se interessar pelos resultados positivos. Cada caso é um caso, e cada pessoa é uma unidade.

Instituto Oncoguia - Você buscou se informar? De que maneira?

Virginia Melo - Primeiro falei com pessoas conhecidas que passaram também por isso. Depois procurei um médico amigo que confio. Tirei as minhas dúvidas com meu mastologista. No início não busquei muito a internet, para não me impressionar com nada. Li reportagens sempre com final feliz.

Instituto Oncoguia - Você tem alguma sugestão a nos dar?

Virginia Melo - Gosto muito das reportagens e das informações que são prestadas.Parabéns!




Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2017 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive