Tipos de Câncer

Câncer de Estômago


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Acompanhamento após Tratamento do Câncer de Estômago

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 24/05/2014 - Data de atualização: 01/09/2020


Para alguns pacientes com câncer de estômago, o tratamento pode remover ou destruir o câncer, mas chegar ao fim do tratamento pode ser estressante. Ao mesmo tempo em que o paciente se sente aliviado com o término do tratamento, fica a preocupação de uma recidiva ou metástase. Este é um sentimento muito comum para a maioria das pessoas que tiveram câncer de estômago.

Em outros pacientes, o câncer pode não desaparecer completamente. Esses pacientes continuarão realizando tratamentos regulares com quimioterapia, terapia alvo ou outras terapias para tentar manter a doença sob controle.

A vida após o câncer significa voltar a realizar suas atividades e também fazer novas escolhas.

Cuidados no acompanhamento

Quando o tratamento termina, os médicos irão acompanhá-lo de perto por alguns anos. Por isso é muito importante comparecer a todas as consultas de acompanhamento. Nestas consultas o médico sempre o examinará, conversará com você sobre qualquer sintoma que tenha apresentado, poderá pedir alguns exames de laboratório ou de imagens para acompanhamento e reestadiamento da doença. Suas visitas ao médico são um bom momento para fazer perguntas e falar sobre quaisquer alterações ou problemas que você perceba ou preocupações que você possa apresentar.

Se você fez uma cirurgia, seu médico pode sugerir que você consulte um nutricionista, para ajudá-lo a se adaptar às mudanças em seus hábitos alimentares.

Os pacientes que fizeram a cirurgia - especialmente se tiveram a parte superior do estômago removida (gastrectomia parcial ou total), provavelmente precisarão fazer acompanhamento dos níveis de vitaminas no sangue regularmente e podem precisar de suplementos vitamínicos, o que pode incluir injeções de B12.

Nutrição

Comer bem pode ser difícil para qualquer pessoa e pode se tornar mais difícil durante o tratamento do câncer. Isso é especialmente verdadeiro para tumores que afetam o trato digestivo, como o câncer de estômago. O câncer ou seu tratamento podem afetar a forma como você se alimenta e absorve os alimentos. As náuseas podem ser um problema durante e após alguns tratamentos e podem levar o paciente a perder o apetite e peso.

Se você perdeu ou está perdendo peso, ou se está tendo problemas para se alimentar, faça o melhor que puder. Coma o que mais lhe agrada. Coma o que puder e quando puder. Você pode considerar que seja útil comer pequenas porções a cada 2 a 3 horas até se sentir melhor. Nesse momento, não é hora de restringir sua dieta. Lembre-se de que esses problemas geralmente melhoram com o tempo. Seu médico pode encaminhá-lo a um nutricionista, que o orientará sobre como combater alguns dos efeitos colaterais do seu tratamento.

Se parte ou todo seu estômago foi removido, você pode precisar comer pequenas quantidades de alimento com mais frequência. Seu médico ou nutricionista ajustará sua dieta se você estiver tendo problemas para comer.

Alguns pacientes com câncer de estômago têm problemas com náuseas, diarreia, sudorese e rubor após comer (síndrome de dumping). Quando parte ou todo o estômago é removido, o alimento digerido passa rapidamente para o intestino, provocando esses sintomas após a ingestão. Esses sintomas geralmente melhoram com o tempo.

Alguns pacientes precisam de suplementos nutricionais para garantir que recebem a nutrição necessária. Alguns pacientes podem precisar de uma sonda de alimentação (sonda de jejunostomia ou sonda J), que é inserido no intestino delgado e permite que a nutrição seja colocada diretamente no intestino delgado para prevenir a perda de peso e melhorar a nutrição. Com menos frequência, a sonda pode ser colocada na parte inferior do estômago (sonda de gastrostomia ou sonda G).

Registros médicos

Eventualmente em algum momento após o diagnóstico e tratamento do câncer de estômago, você pode consultar outro médico, que desconheça totalmente seu histórico clínico. É importante que você seja capaz de informar ao novo médico os detalhes do diagnóstico e do tratamento. Verifique se você tem a seu alcance, informações como:

  • Cópia do laudo de patologia e de qualquer biópsia ou cirurgia.
  • Cópia do relatório de alta hospitalar.
  • Cópia do relatório do tratamento radioterápico.
  • Cópia do relatório quimioterápico, imunoterápico e terapia alvo incluindo medicamentos utilizados, doses, e tempo do tratamento.
  • Exames de imagem.

O médico pode querer manter cópias dessas informações, não se esqueça de sempre manter cópias de tudo com você!

Como diminuir o risco do câncer progredir ou recidivar?

Permanecer tão saudável quanto possível é mais importante do que nunca após o tratamento do câncer de estômago. Parar de fumar e manter uma alimentação saudável pode ajudá-lo a reduzir o risco da recidiva e a protegê-lo de outros problemas de saúde.

O consumo de tabaco está claramente relacionado ao câncer de estômago, então não fumar ajuda a reduzir esse risco. Não fumar ajudará a melhorar seu apetite e seu estado geral de saúde, além de reduzir a chance de desenvolver outros tipos de câncer e doenças respiratórias.

Suplementos dietéticos

Até o momento, nenhum suplemento dietético, incluindo vitaminas, minerais e produtos à base de plantas, mostrou diminuir o risco da progressão ou recidiva do câncer de estômago. Isso não significa que nenhum suplemento ajudará, mas é importante saber que nenhum suplemento é eficaz.

Se você está pensando em tomar qualquer tipo de suplemento nutricional, converse antes com seu médico, para decidir quais você pode usar com segurança, evitando aqueles que possam ser prejudiciais.

Se o câncer voltar?

Se o câncer recidivar em algum momento, suas opções de tratamento dependerão da localização da recidiva, de quais tratamentos já foram realizados e de seu estado geral de saúde.

Risco de um segundo câncer após o tratamento

Pacientes que tiveram e sobreviventes de câncer de estômago têm um maior risco de ter outros tipos de câncer.

Texto originalmente publicado no site da American Cancer Society, em 09/06/2020, livremente traduzido e adaptado pela Equipe do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive