Tipos de Câncer

Tumores Pituitários


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Acompanhamento após Tratamento dos Tumores Pituitários

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 21/01/2014 - Data de atualização: 04/06/2017


Após o tratamento de um tumor de hipófise, as principais preocupações para a maioria dos pacientes são os efeitos imediatos e de longo prazo do tumor e seu tratamento, além da preocupação de uma recidiva ou metástase.

Pode demorar algum tempo até diminuir as incertezas e medos. Mas ajuda saber que muitos pacientes com tumores de hipófise, aprenderam a lidar com esta incerteza.

Em outros pacientes, o câncer pode não desaparecer completamente. Esses pacientes continuarão realizando tratamentos regulares com quimioterapia, radioterapia ou outras terapias para tentar manter a doença sob controle.

Cuidados no Acompanhamento

Quando o tratamento termina, os médicos irão acompanhá-lo de perto por alguns anos. Por isso é muito importante comparecer a todas as consultas de seguimento. Nestas consultas o médico sempre o examinará, conversará com você sobre qualquer sintoma que tenha apresentado, poderá pedir alguns exames de laboratório ou de imagem para acompanhamento e reestadiamento da doença.

A cirurgia é muitas vezes o primeiro tratamento para muitos tipos de adenomas pituitários. Se você teve um adenoma funcional, as dosagens hormonais podem ser feitas dentro de alguns dias ou semanas após a cirurgia. Exames de sangue também serão feitos para ver como o restante do tecido normal da hipófise está funcionando. Se os resultados mostrarem que o adenoma foi completamente removido e que a função pituitária está normal, o paciente irá realizar consultas periódicas. Seus níveis hormonais serão avaliados novamente no futuro para verificar qualquer recidiva. Independentemente da produção ou não de hormônios, podem ser solicitados exames de ressonância magnética como parte do acompanhamento. Dependendo do tamanho do tumor e da extensão da cirurgia, você também pode ter que consultar um neurologista e um oftalmologista.

Após a radioterapia, você fará exames de controle durante alguns anos. A resposta à radioterapia é difícil de prever, embora os benefícios e efeitos colaterais do tratamento possam ocorrer em alguns meses. Sua função pituitária será avaliada a intervalos regulares. Os principais exames de controle serão a ressonância magnética e os exames dos níveis hormonais, se o tumor produzir hormônios.

É comum que os pacientes desenvolvam uma deficiência hormonal após a cirurgia ou radioterapia. Esses pacientes vão precisar de reposição hormonal após o tratamento, que e feita por meio de medicamentos orais. Nos homens, a testosterona pode ser administrada para restaurar o desejo sexual e ajudar a prevenir a osteoporose. Em mulheres jovens, o estrogênio é administrado para evitar a menopausa precoce. A deficiência do hormônio da hipófise pode afetar a capacidade da mulher de ter filhos. No entanto, se ela deseja engravidar, pode ser possível restaurar a fertilidade com a terapia hormonal.

Os pacientes que fizeram terapia medicamentosa para adenomas produtores do hormônio corticotropina ou produtores do hormônio do crescimento, o acompanhamento pode ser mais frequente, para que seus níveis hormonais e sintomas sejam monitorados de perto. Pacientes com adenomas produtores do hormônio do crescimento têm um risco aumentado de ter pressão alta, insuficiência cardíaca e câncer de cólon.

Consultando outro Médico

Eventualmente em algum momento após o diagnóstico e tratamento do tumor de hipófise, você pode consultar outro médico, que desconheça totalmente seu histórico clínico. É importante que você seja capaz de informar ao novo médico os detalhes do diagnóstico e do tratamento. Verifique se você tem a seu alcance, informações como:

  • Cópia do laudo de patologia e de qualquer cirurgia.
  • Cópia do relatório de alta hospitalar.
  • Cópia dos exames de laboratório e níveis hormonais antes e depois do tratamento.
  • Cópia do relatório do tratamento radioterápico.
  • Cópia do relatório dos medicamentos utilizados, incluindo doses, e tempo do tratamento.
  • Exames de imagem.

O médico pode querer manter cópias dessas informações, não se esqueça de sempre manter cópias de tudo com você!

Fonte: American Cancer Society (17/12/2014)


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive