Tipos de Câncer

Câncer de Rim

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Opções de Tratamento para Câncer de Rim por Estágio

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 21/11/2014 - Data de atualização: 15/02/2018


O tipo de tratamento depende do estágio do câncer e do estado de saúde geral do paciente. Algumas opções de tratamento consideradas para cada estágio do câncer de rim são:

Estágio I, II ou III


No estágio I e II, os tumores ainda estão confinados dentro do rim. No estágio III o câncer já atingiu as veias ou se disseminou para os linfonodos próximos.

Esses cânceres, quando possível, são retirados cirurgicamente, por nefrectomia parcial ou radical. Para tumores de até 7 cm é, muitas vezes, é realizada a nefrectomia parcial. Os linfonodos próximos ao rim podem ser retirados, principalmente se estiverem aumentados.

Após a cirurgia, alguns pacientes com alto risco de recidiva podem receber o medicamento alvo sunitinibe por 1 ano, para ajudar a reduzir esse risco. Esse tratamento administrado após a cirurgia é denominado terapia adjuvante. O sunitinibe pode ter efeitos colaterais, por isso é importante falar com seu médico sobre os benefícios e os riscos desse medicamento. Estudos clínicos também estão avaliando outros tratamentos adjuvantes para câncer de rim. Converse com seu médico se estiver interessado em saber mais sobre as terapias adjuvantes em andamento nos ensaios clínicos.

Se o paciente não puder realizar a cirurgia devido a outros problemas de saúde, poderá se beneficiar de outros tratamentos locais, como crioterapia, ablação por radiofrequência ou embolização arterial. A radioterapia pode ser outra opção. Estes tratamentos são geralmente administrados apenas quando a cirurgia não pode ser realizada. Embora esses tipos de tratamento possam ter resultados similares à cirurgia em relação as chances de recidiva, estudos mostraram que a doença geralmente volta na mesma área.

A vigilância ativa é outra opção para pacientes com tumores renais pequenos. Nesta abordagem, o tumor é acompanhado, com tomografias ou ultrassons, e tratado caso comece a crescer.

Estágio IV

No estágio IV, o câncer de rim se encontra no próprio órgão e fora do rim ou se disseminou para outras partes do corpo, como linfonodos ou outros órgãos.

O tratamento no estágio IV da doença depende da extensão do tumor e do estado de saúde geral do paciente. Em alguns casos, a cirurgia ainda pode ser uma parte do tratamento.

Em casos raros, em que o tumor principal parece ser ressecável e a doença se disseminou para  apenas um local, como, por exemplo, os pulmões, a cirurgia para retirar o rim e a metástase pode ser uma opção, desde que o estado de saúde geral seja satisfatório para a realização do procedimento. Caso contrário, o tratamento com uma das terapias alvo, provavelmente será a primeira opção.

Se o tumor principal é ressecável, mas a doença se disseminou extensivamente para outras áreas, a retirada do rim ainda pode ser uma opção. Isto provavelmente será seguido por terapia sistêmica, que pode consistir de uma das terapias alvo ou com interleucina-2. Mas, frequentemente a terapia alvo é realizada primeiro. Não está claro se qualquer uma das terapias alvo ou qualquer sequência específica é melhor do que outra, embora o temsirolimus pareça ser mais útil em pacientes com câncer de rim com prognóstico desfavorável.

Para os tumores que não podem ser retirados cirurgicamente, devido a extensão do tumor ou do próprio estado de saúde geral do paciente, o tratamento de primeira linha provavelmente será uma das terapias alvo ou terapia com citocina.

Como o câncer de rim avançado é difícil de ser curado, ensaios clínicos com novas combinações de terapia alvo, imunoterapia ou outros novos tratamentos também são opções de tratamento a serem considerados.

Para alguns pacientes, tratamentos paliativos, como terapia de embolização ou radioterapia podem ser a melhor opção. A radiocirurgia pode ser eficaz no tratamento de metástases cerebrais individuais. A cirurgia ou a radioterapia também podem ser realizadas para reduzir a dor ou outros sintomas das metástases em alguns outros locais, como nos ossos.

Ter a dor controlada ajuda o paciente a manter sua qualidade de vida. É importante perceber que os medicamentos para aliviar a dor não interfiram com outros tratamentos e que o controle da dor, muitas vezes, ajuda o paciente a ser mais ativo e a manter suas atividades diárias.

Recidiva

Recidiva é a volta da doença após o término do tratamento, que pode ser local ou em outros órgãos, como pulmões ou ossos. O tratamento do câncer de rim avançado depende do local da recidiva e dos tratamentos realizados anteriormente, bem como o estado de saúde geral do paciente e se ele deseja continuar o tratamento.

Para os tumores que recidivam após a cirurgia, uma opção de tratamento é realizar uma nova cirurgia. Caso contrário, o tratamento com terapia alvo ou imunoterapia provavelmente será recomendado. Os estudos clínicos com novos tratamentos também são uma opção.

As recidivas do câncer de rim em outras partes do corpo são tratadas como estágio IV. As opções dependem de dos medicamentos já utilizados anteriormente e do estado geral de saúde do paciente.

Para cânceres que continuam progredindo ou se disseminando durante o tratamento com terapia alvo ou citocinas, outro tipo de terapia alvo pode ser útil. Se estes tratamentos não responderem, a quimioterapia pode ser tentada, principalmente em pacientes com câncer de rim de células não claras. Os estudos clínicos podem ser uma boa opção nesta situação para aqueles que querem continuar o tratamento.

Para alguns pacientes, os tratamentos paliativos, como a terapia de embolização ou a radioterapia podem ser a melhor opção. Controlar sintomas, como a dor, é uma parte importante do tratamento em qualquer estágio da doença.

Fonte: American Cancer Society (17/11/2017)


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive