top
Tipos de Câncer

Câncer de Mama

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Boehringer Eisai Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Medtronic Takeda Susan Komen Astellas UICC


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Dicas para o Companheiro de uma Mulher com Câncer de Mama

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 06/10/2014 - Data de atualização: 06/10/2014


Esteja sempre ao lado dela

Este é um momento no qual ela precisará muito de sua ajuda e compreensão. Altos e baixos virão e você deverá auxiliá-la a superar. Dedique-se a cuidar de quem você ama.

Defenda sempre o melhor tratamento


O tratamento oncológico pode ser, em muitos casos, extremamente burocrático. A cobertura do convênio ou a busca por hospitais da rede pública de saúde requerem uma luta diária e em alguns casos, um pouco de paciência. Desta forma, tente, na medida do possível, se responsabilizar por todos esses trâmites. Além disso, procure informar-se sobre os direitos do paciente com câncer. Isso poderá lhe dar uma maior tranquilidade e segurança. Lembre-se que a informação é uma grande aliada em todos os momentos.

Seja organizado

Tente ajudá-la a organizar todos os laudos médicos, receitas de medicamentos, documentos que atestam a doença e todos os procedimentos em uma pasta. Nem todos os documentos são importantes, mas existem alguns que não podem ser perdidos. Seja o mais organizado possível.

Saiba: "Não é com Você”


Caso ela esteja demonstrando muita raiva ou frustração, saiba que isso não é com você. Isso é muito comum em algumas fases da doença. Nessa hora, fique por perto, mesmo que seja em silêncio e lhe dê apoio. Dessa forma, você estará permitindo que ela expresse seus sentimentos e reclamações. Com toda certeza, ela vai se sentir melhor.

Fique de olho aos sinais e sintomas de depressão. Se você acha que ela está depressiva, ajude-a a encontrar um suporte emocional adequado, um psiquiatra, caso se trate de uma depressão que precisa ser medicada, ou um psicólogo. Converse com o médico que está acompanhando o caso.

Reorganize as tarefas diárias


Durante todo o tratamento, algumas mudanças e adaptações deverão ser feitas por todos os membros da família. Tente, na medida do possível, deixar a rotina diária mais parecida possível com o que era antes do tratamento. Entenda que ela pode precisar de ajuda para fazer algumas coisas que antes costumava fazer sozinha. Inclusive, pode ser que você precise assumir algumas de suas responsabilidades.

Para o seu próprio bem-estar, peça ajuda aos outros membros da família ou de amigos. Delegue tarefas e pergunte quem pode fazer o quê. Situações simples como fazer o supermercado ou pagar uma conta no banco podem ajudar muito.

Seja sempre sincero


Não falte com a verdade dizendo que não há nada com que se preocupar.

Mudanças na sexualidade do casal


A sexualidade é um dos pilares para a construção de uma boa qualidade de vida. Durante o tratamento contra o câncer, o paciente vive situações físicas que podem interferir em sua vida sexual. As modificações no corpo, como diminuição da libido, secura vaginal e falta de apetite sexual e alterações no humor, como depressão, ansiedade e tristeza, acabam trazendo consequências não apenas para a vida do paciente, mas para a vida do casal. Ela pode sentir-se cansada ou preocupada demais para pensar nesse assunto. Isso é normal e bastante comum entre as pacientes.

Alguns transtornos decorrentes do tratamento são passageiros e outros podem ser minimizados ou eliminados com apoio médico e psicoterápico, ajudando-o a superar as dificuldades e encontrar novas formas de convivência. Diante dessa situação, é muito importante que vocês conversem sobre isso. Se preferir, procure ajuda de um profissional da área, um psicooncologista pode ajudar.

Saiba pedir ajuda


Ver alguém que você ama doente é muito difícil, são várias as emoções que você pode sentir neste momento e por isso, você também precisa de um espaço para falar sobre os seus sentimentos, preocupações e inseguranças. Muitas vezes, uma boa opção pode ser conversar com um amigo ou com alguém que esteja passando pela mesma situação. Mas, se possível, procure um psicólogo. Não vá esperando respostas e soluções, um dos objetivos do psicólogo é lhe proporcionar um espaço neutro de escuta e acolhimento para os seus sentimentos e angústias.

Tire um tempo pra você


Mesmo que seja apenas por uma hora, marque um café com um amigo, vá cortar o cabelo, fazer uma massagem ou vá ao cinema. Saiba que tirar esse tempo para você é importante, pois lhe dará mais ânimo e capacidade de continuar cuidando da pessoa que você ama.

Cuide de sua saúde física e mental


É muito comum os cuidadores descuidarem-se da sua própria saúde enquanto providenciam o melhor cuidado possível para a pessoa amada. Alguns desses problemas encontrados frequentemente entre cuidadores são altos índices de depressão, sintomas de estresse, uso de psicotrópicos e redução no nível de imunidade.

Não negligencie a sua saúde


Isso pode deixá-lo vulnerável ou até mesmo doente.


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2016 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive