Especial

Qualidade de vida


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Medicina Integrativa

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 25/01/2013 - Data de atualização: 25/01/2013


A Medicina Integrativa é uma especialidade médica, ainda muito nova no Brasil, que cuida do paciente considerando seu corpo, sua mente e seu espírito, incluindo também todos os aspectos da sua vida.

Agregando os conhecimentos da medicina convencional e os da medicina complementar, a medicina integrativa estabelece um equilíbrio entre as abordagens já existentes. São técnicas terapêuticas utilizadas para favorecer o alívio da dor, minimizar os efeitos colaterais do tratamento e reduzir ansiedade e estresse, trazendo bem-estar e qualidade de vida para o paciente.
 
Saiba Mais sobre Medicina Integrativa, confira a entrevista com Dr Paulo de Tarso Lima, médico, responsável pelo setor de Medicina Integrativa e Complementar do Hospital Israelita Albert Einstein.
 
O que é a Medicina Integrativa?
 
A Medicina Integrativa é a prática terapêutica que aborda de forma integral e completa o processo de cura do paciente, envolvendo sua mente, corpo e espírito. Ela combina a Medicina Convencional com as práticas de Medicina Complementares, que tenham se mostrado mais promissoras. Exemplo: usar conhecimentos de relaxamento para reduzir o estresse durante a quimioterapia.

Quais são os principais motivos que estimulam o paciente e/ou seus familiares a procurarem a medicina integrativa?

Os principais motivos que estimulam o paciente e/ou familiar a procurarem a medicina integrativa são:

  • Auxilio no tratamento dos efeitos colaterais aos tratamentos de câncer, como náusea, dor e fadiga. Exemplo.: A utilização de eletroacupuntura para diminuir a náusea no período pós quimioterapia.
  •  A obtenção de conforto e alívio das aflições decorrentes do tratamento, e consequente estresse. Exemplo.: A prática de uma atividade com foco na respiração levando a diminuição da ansiedade antes de realizar um exame de controle.
  • Sensação de estar fazendo "algo mais” por si mesmo. Ex.: A importância da alimentação na sensação de melhora da fadiga durante o tratamento.
  • Tentativa de conseguir o melhor para o tratamento e a cura do câncer. Ex.: Todas as pessoas possuem uma capacidade inata de autorecuperação e cura, as práticas e orientações complementares ao tratamento, serão determinantes na promoção desta capacidade.

De que forma a medicina integrativa pode colaborar em conjunto com o tratamento médico convencional?

Muitos pacientes relatam que buscam na medicina integrativa formas de reduzir os efeitos colaterais da medicação usada durante o tratamento; aumentar a sensação de bem-estar e qualidade de vida; minimizar sentimentos negativos como medo, stress, depressão e ansiedade. Dessa maneira, a junção da medicina integrativa e a medicina convencional contribuem para melhorar a qualidade de vida e aumentar a sensação de bem-estar destes pacientes.

O paciente deve falar com o seu médico antes de utilizar qualquer prática da medicina integrativa?

Alguns pacientes receiam que seu médico desaprove ou não compreenda o uso da medicina integrativa. Sabemos, porém, que os médicos aceitam e valorizam o desejo do paciente em participar ativamente do processo de cura. O médico sempre irá desejar o melhor para seu paciente, ansiando por fazer o trabalho em conjunto. Fale com seu médico para assegurar-se de que todos os métodos escolhidos podem atuar em harmonia. Este posicionamento é importante, porque escolhas que parecem seguras - como certos alimentos e fitoterápicos - podem interferir no tratamento proposto pelo médico responsável.

O que o paciente deve perguntar ao médico a respeito da medicina integrativa?

1. Quais as opções dentro da medicina integrativa são eficazes para:
Ajudar a enfrentar meu problema, reduzir o estresse e me sentir melhor?
Ajudar a me sentir menos cansada?
Ajudar a lidar com os sintomas do câncer como a dor, ou os efeitos colaterais do tratamento, como as náuseas?

2. Se eu decidir usar alguma terapia da Medicina Complementar:
A terapia escolhida poderá interferir no meu tratamento, ou interagir com a medicação em uso atualmente?
Você pode me ajudar a compreender melhor todas essas informações sobre a medicinas integrativas?
Você trabalhará em conjunto com o terapeuta indicado?
 
Existem lugares específicos para o tratamento da medicina integrativa?

O Hospital Albert Einstein em São Paulo disponibiliza um serviço pioneiro de Medicina Integrativa e Complementar focado nos pacientes oncológico.

Em todos os hospitais Brasileiros existem programas e serviços de Medicina Complementar voltados ao paciente.

Nem sempre estes serviços são oferecidos de forma integrada ao tratamento, sendo neste caso fundamental que estas práticas sejam informadas ao Oncologista responsável pelo paciente. Só assim o paciente aproveitara de maneira completa desta sinergia, o melhor do tratamento convencional com o melhor do complementar, sempre pensando em promover sua capacidade inata de cura e equilíbrio.

A Organização Mundial de Saúde, define saúde como um estado de completo equilíbrio físico, mental e social e não meramente a ausência de doenças; neste sentido a Medicina Integrativa e Complementar, pode em muito ajudar os pacientes no caminho de restabelecer sua saúde integral.

Dicas e Orientações Gerais

Observar a importância do auto-cuidado durante e após o tratamento.

Se alimentar com qualidade, buscando uma dieta que promova a diminuição da inflamação (menos açúcar, mais legumes, mais peixes...)

A importância de observarmos a presença do Stress excessivo em nossas vidas, e nos permitir relaxar.

Essas duas dicas, são orientações que se observadas e incorporadas no dia a dia, trarão com certeza benefícios adicionais ao tratamento.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive