Novo tratamento para pacientes com câncer de próstata é apresentado na ASCO

Ver conteúdo relacionado
  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 09/06/2022 - Data de atualização: 09/06/2022

O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Ainda segundo o órgão, que atua no auxílio ao Ministério da Saúde no desenvolvimento de ações integradas para a prevenção e o controle do câncer no país, ele também é o segundo mais comum, em valores absolutos, considerando ambos os sexos, além de ser considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de 75% dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos¹. Por esta razão, a comunidade científica global dedica constantes esforços em pesquisas em busca de novos tratamentos que possam beneficiar pacientes acometidos pela doença. E um desses estudos foi apresentado no Congresso da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO), o maior congresso de oncologia do mundo, que segue até esta terça-feira, dia 7 de junho, em Chicago, Estados Unidos.

Contando com a participação de médicos brasileiros, a pesquisa ARASENS, publicada na revista científica New England Journal of Medicine, apresentou dados que podem trazer um novo panorama para o tratamento de câncer de próstata. A análise primária foi realizada, no total, com 1.306 pacientes com a doença resistente à castração – destes, 86,1% estavam com metástase no diagnóstico inicial. O estudo concentrou esforços em achar soluções para o tratamento do câncer de próstata metastático sensível a hormônio (mHSPC), ou seja, quando o paciente já está em um estágio avançado da doença em que a cura não é mais uma opção.

A excelente notícia é que o ARASENS demostrou risco de morte 32,5% menor – no tratamento com darolutamida mais terapia de privação de andrógeno (ADT) e docetaxel versus tratamento apenas com ADT e docetaxel, sendo este último o atual tratamento padrão. Além disso, ambos os tratamentos mantiveram taxas de eventos adversos (EA) similares.

No Brasil, o processo para aprovação desse novo tratamento já foi submetido à avaliação da Anvisa, órgão regulador vinculado ao Ministério da Saúde que aprova a entrada de novos medicamentos para tratamentos de doenças no país. A previsão é que o parecer final da Agência seja dado em setembro deste ano.

Fonte: Portal Hospitais Brasil






Folhetos Diferentes materiais educativos para download

A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Ver versão completa do site. Desenvolvido por Lookmysite Interactive