[NOTA] Liminar de juíza federal afasta ilegalidade de Portaria do Ministério da Saúde, sobre Lei dos 60 dias

Ver conteúdo relacionado
  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 15/09/2015 - Data de atualização: 15/09/2015

A juíza federal de Brasília, Maria Cecília Rocha, concedeu liminar em Ação Civil Pública promovida pela Defensoria Pública da União do Distrito Federal, afastando a ilegalidade do texto da Portaria do Ministério da Saúde nº 876/2013 que regulamentou a Lei dos 60 dias (Lei 12.732/12). Pelo texto da lei, prazo entre o diagnóstico do câncer e o início do tratamento deve ser contado a partir do resultado do exame e não somente quando o exame é registrado no prontuário do paciente, como foi colocado ilegalmente na portaria em maio deste ano. A liminar foi concedida

Há muitos casos no Brasil em que o paciente precisa esperar mais de quatro meses para iniciar o tratamento da doença, pelo SUS, podendo agravar seu quadro clínico e dificultar as chances de cura.

Neste mês, o governo implantou um sistema para verificar os prazos de diagnóstico, consulta e início do tratamento e, assim, garantir o cumprimento efetivo da Lei.

O Instituto Oncoguia já havia notificado diversos órgãos de fiscalização, apontando a ilegalidade. Além de acompanhar o resultado final dessa ação judicial, estamos sensibilizando Deputados Federais para que apresentem decreto legislativo, o qual poderá revogar de vez o texto da Portaria do Ministério da Saúde considerado ilegal.





Folhetos Diferentes materiais educativos para download

A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Ver versão completa do site. Desenvolvido por Lookmysite Interactive