CNN Sinais Vitais alerta sobre os riscos do câncer de intestino

Ver conteúdo relacionado
  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 20/07/2021 - Data de atualização: 20/07/2021

Nesta semana, o programa CNN Sinais, apresentado pelo cardiologista Roberto Kalil, alerta sobre os riscos do câncer de intestino. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), surgiram mais de 40 mil novos casos no Brasil em 2020. A doença, também chamada de câncer colorretal, pode ter várias causas, como a má alimentação e fatores genéticos. 

O CNN Sinais Vitais vai ao ar nesta quarta-feira (21), às 22h30, logo após o Jornal da CNN, na faixa nobre da CNN Brasil. 

Segundo o médico Raul Cutait, cirurgião do aparelho digestivo do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo, o câncer colorretal é o segundo que mais acomete mulheres no Brasil, depois do câncer de mama. Além disso, também é o segundo mais frequente em homens, após o câncer de próstata.

Cutait alerta para o aumento de casos nos últimos anos no Brasil e no mundo e diz que o problema tem relação com a alimentação. Segundo os especialistas, uma alimentação pobre em legumes e verduras e rica em carne vermelha e bebida alcoólica pode desencadear este tipo de câncer.

Há também pacientes que têm a Síndrome de Lynch, decorrente de uma alteração genética que aumenta o risco de desenvolvimento de tumores no cólon e no reto.

O programa conta com uma entrevista com a médica Angelita Habr-Gama, coloproctologista e cirurgiã do aparelho digestivo do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, de São Paulo. A especialista criou o protocolo “Watch & Wait”, que significa “observar e esperar”, usado para tumores que podem desaparecer (clínica e radiologicamente) com tratamento e sem necessidade de cirurgia.

“Hoje em dia, com novas drogas de quimioterapia e com radioterapia muito mais desenvolvidas, podemos chegar até 60% de doentes que evitam uma cirurgia. E evitar uma cirurgia de colostomia é uma glória”, diz Angelita. Segundo a médica, que é referência na área, os casos de câncer de intestino têm bom prognóstico quando diagnosticados precocemente.

A equipe da CNN acompanhou cirurgias de câncer colorretal no Hospital Sírio-Libanês com o médico Raul Cutait, e no Hospital A.C. Camargo com o médico Samuel Aguiar. O episódio mostra ainda, como ocorre o procedimento de laparoscopia com a ajuda de robôs ultramodernos.

Fatores genéticos

A geneticista e doutora em oncologia, Maria Isabel Achatz, explica os casos genéticos de câncer e como funcionam os exames disponíveis para detectar a doença. “Hoje nós sabemos que 10% de todos os casos de câncer colorretal podem ser hereditários. O grande avanço é fazer um exame adicional chamado imuno-histoquímica, que encontra um indício da hereditariedade”.

De acordo com a especialista, mapear os familiares é uma estratégia importante de rastreio. “O que se sabe hoje é que nas famílias onde a hereditariedade é encontrada, a redução da mortalidade é efetiva”, conclui.

Fonte: CNN Brasil






Folhetos Diferentes materiais educativos para download

A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Ver versão completa do site. Desenvolvido por Lookmysite Interactive