Tipos de Câncer

Câncer de Ovário

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Astellas UICC Libbs GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Tumores de ovário de células germinativas

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 28/07/2014 - Data de atualização: 16/05/2022


As células germinativas são as que formam os óvulos. A maioria dos tumores de células germinativas é benigna, embora algumas são cancerígenas e podem ser fatais. Menos de 2% dos cânceres de ovário são tumores de células germinativas. De forma geral, têm um bom prognóstico, com sobrevida em cinco anos de mais de 90% das pacientes. Existem vários subtipos de tumores de células germinativas, os mais frequentes são teratomas, disgerminomas, tumores do seio endodérmico e coriocarcinomas. Os tumores de células germinativas também podem ser uma mistura de mais de um único subtipo.

  • Teratoma

Os teratomas são tumores de células germinativas com áreas que, quando visualizadas sob o microscópio, se parecem com cada uma das três camadas de um embrião em desenvolvimento: a endoderme (camada mais profunda), mesoderme (camada média) e ectoderme (camada externa). Este tumor tem uma forma benigna e outra cancerosa, denominadas teratoma maduro e teratoma imaturo, respectivamente.
 
O teratoma maduro é o tumor de ovário de células germinativas mais frequente. É um tumor benigno que geralmente afeta mulheres em idade reprodutiva. É muitas vezes chamado de cisto dermoide. Esses tumores ou cistos podem conter diferentes tipos de tecidos benignos, incluindo, osso, cabelo e dentes. As pacientes são curadas com a retirada cirúrgica do cisto.
 
Os teratomas imaturos são um tipo de câncer, que ocorre em meninas e mulheres jovens, geralmente com menos de 18 anos. Esse tipo de câncer é raro e contêm células que se parecem com os tecidos embrionários ou fetais, como o tecido conjuntivo, vias respiratórias e cérebro. Os tumores que são relativamente mais maduros (teratoma imaturo grau 1) e não se disseminaram além do ovário são tratados com a remoção cirúrgica dos ovários. Quando eles se disseminam além do ovário e/ou a maior parte do tumor tem uma aparência muito imatura (teratomas imaturos de grau 2 ou 3), a quimioterapia é indicada além da cirurgia.

  • Disgerminoma

Este tipo de câncer é raro, mas é o câncer de células germinativas de ovário mais frequente. Ele geralmente afeta adolescentes e mulheres jovens. Os disgerminomas são considerados malignos, mas a maioria não se desenvolve ou se dissemina rapidamente. Quando esses tumores estão limitados ao ovário, mais de 75% das pacientes são curadas com a remoção cirúrgica dos ovários, sem qualquer tratamento adicional. Mesmo quando o tumor se dissemina ou recidiva, a cirurgia, radioterapia e/ou quimioterapia são eficazes no controle da doença em cerca de 90% das pacientes.

  • Tumor do saco vitelino e coriocarcinoma

Esses tumores são raros e geralmente afetam meninas e mulheres jovens. Eles tendem a se desenvolver e se disseminar rapidamente, mas, são muito sensíveis à quimioterapia. O coriocarcinoma que começa na placenta é mais frequente do que o tipo que começa no ovário respondendo melhor à quimioterapia do que os coriocarcinomas ovarianos.
 
Texto originalmente publicado no site da American Cancer Society, em 11/04/2018, livremente traduzido e adaptado pela Equipe do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive