Tipos de Câncer

Câncer Colorretal

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Sexualidade durante o Tratamento do Câncer Colorretal

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 17/03/2015 - Data de atualização: 17/03/2015


A sexualidade é um dos pilares para a construção de uma boa qualidade de vida. Durante o tratamento contra o câncer colorretal, o paciente vive situações que podem interferir na sua sexualidade. As alterações na sexualidade são experiências individuais, que variam muito de pessoa a pessoa.

Alguns pacientes declaram que o maior desafio está no pós-operatório quando, em alguns casos, a bolsa de colostomia é utilizada. Apesar da grande variedade e versatilidade das bolsas existentes hoje no mercado, o contato íntimo e a exposição da bolsinha trazem desconfortos e até vergonha não apenas para o paciente, mas para o seu parceiro (a) também. Esse tipo de sentimentos são comuns e esperados.

A quimioterapia também é uma fase muito difícil para os pacientes que estão em tratamento de câncer colorretal. Os efeitos colaterais da medicação fazem com que a libido do paciente diminua, provocando desinteresse sexual.

Nas mulheres, por exemplo, pode ocorrer também amenorreia (ausência de menstruação) ou diminuição na lubrificação vaginal. Essas mudanças no organismo exigem cuidados especiais. É importante que você saiba que muitos desses transtornos são passageiros e outros podem ser diminuídos ou eliminados com apoio psicoterápico.

As modificações no organismo durante o tratamento e o estado de espírito do paciente acabam trazendo consequências para a vida do casal. Embora possa existir alguma dificuldade, é bom que o casal converse sobre a nova realidade e descubra juntos novas formas de convivência íntimas igualmente satisfatórias.

Ajuda terapêutica também pode ser uma opção. Por meio das orientações psicológicas esses problemas podem ser superados com relativa facilidade, afastando-se ou reduzindo-se a possibilidade de evoluírem para um quadro mais grave de depressão.

Dicas e Orientações


  • Converse com o seu parceiro e exponha seus sentimentos. A comunicação aberta entre o casal fortalece o relacionamento e ajuda na criação de maneiras criativas para manter a intimidade.

  • Converse com o seu médico. Ele poderá lhe orientar sobre essa fase e até mesmo prescrever medicamentos para combater os efeitos colaterais do tratamento e o motivo que o leva ao desinteresse sexual.

  • Caso sinta necessidade procure ajuda terapêutica. O psicooncologista poderá lhe auxiliar durante essa fase de adaptação e mudanças.


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive