Tipos de Câncer

Câncer de Pulmão de Pequenas Células

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Riscos do fumo passivo à saúde

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 04/11/2018 - Data de atualização: 04/11/2018


O fumo passivo ou tabagismo passivo ocorre como resultado da inalação de poluentes no ar produzidos pela combustão dos produtos do tabaco. Segundo a American Lung Association, a fumaça emitida pelo tabaco contém cerca de 7.000 substâncias químicas tóxicas e, destas, 70 são cancerígenas.

Isso significa que toda vez que alguém acende um cigarro, substâncias químicas, como benzeno, formaldeído, cloreto de vinila, amônia, arsênio, cianeto de hidrogênio e monóxido de carbono, são liberadas no ar. Como os fumantes inalam essas substâncias diretamente, os não fumantes também o fazem de maneira indireta, como resultado do fumo passivo.

Fumo passivo

O fumo passivo é uma combinação de dois tipos de fumaça: o fumo da corrente principal, que na verdade é exalado pela pessoa que está fumando, e a fumaça secundária, que é emitida a partir do final de um cigarro aceso. Ambos os tipos contêm os mesmos substâncias carcinogênicas.

Mortes por fumo passivo

A American Lung Association estima que o fumo passivo é responsável por mais de 40.000 mortes anualmente. Portanto não existem níveis seguros de fumo passivo. Mesmo uma breve exposição pode desencadear um ataque cardíaco ou a exacerbação de doenças pré-existentes. Além disso, a exposição ao fumo passivo provoca doenças e morte prematura em crianças e adultos não fumantes.

Grupos em risco

Apesar de todas as pessoas expostas ao fumo passivo estarem em risco, determinados grupos têm um risco maior de desenvolver importantes problemas de saúde devido ao fumo passivo:

  • Adultos

O fumo passivo é um importante irritante respiratório, uma vez que pode piorar condições respiratórias, incluindo doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Os adultos com DPOC estão particularmente em risco quando expostos ao fumo passivo, apresentando, muitas vezes, o agravamento de sintomas, como aumento da falta de ar, tosse e produção de muco. Além disso, o fumo passivo atua como um dos principais fatores desencadeantes da asma. Apenas o cheiro de fumaça na roupa ou na pele é suficiente para desencadear sintomas respiratórios importantes.

  • Bebês e recém-nascidos

Quando uma mulher fuma durante a gravidez, o feto recebe menos oxigênio e apresenta um aumento do nível de monóxido de carbono em sua corrente sanguínea. Isso pode levar a uma maior incidência de aborto espontâneo, parto prematuro, morte fetal e síndrome da morte súbita infantil (SIDS). Os bebês expostos à fumaça do cigarro no útero também têm um maior risco de nascerem abaixo do peso e terem outras complicações. Além disso, existe uma ligação definitiva entre fumar durante a gravidez e a SIDS. Os bebês de mães que fumam têm o dobro de probabilidade de morrer de SIDS em relação aos filhos das mulheres não fumantes.

  • Crianças e adolescentes

Como as crianças têm vias aéreas menores, são mais sensíveis ao fumo passivo do que os adultos. Quando uma criança é exposta ao fumo passivo, sua capacidade respiratória é prejudicada, conforme suas vias aéreas se inflamam e produzem mais muco. Isso as torna suscetíveis a sintomas respiratórios, como tosse e chiado, o que muitas vezes, pode provocar uma infecção respiratória.

O fumo passivo, também, irrita as vias aéreas dos pulmões sendo um agravante para as crianças que sofrem de asma, além de piorar os sintomas da doença.

Crianças e adolescentes de pais que fumam não só desenvolvem infecções respiratórias com mais frequência, como têm mais dificuldade na recuperação dessas infecções. O fumo passivo também é conhecido por estar associado à infecções de ouvido, pneumonia e bronquite em crianças.

O tabagismo entre adolescentes também é uma preocupação importante para a saúde. Não é incomum que adolescentes de pais que fumam se tornem fumantes. Os adolescentes não estão apenas inconscientes de como o tabagismo é viciante, mas podem facilmente se tornarem dependentes a curto prazo.

Como evitar a exposição

Alguns passos para evitar a exposição:

  • Nunca permita que alguém fume em casa, escritório ou carro.
  • Explique sua política de "casa sem tabaco" para todos que o visitam. As pessoas que realmente se importam com você respeitarão e apoiarão suas regras.
  • Desencoraje o tabagismo em sua casa removendo todos os cinzeiros.
  • Aconselhe seus hóspedes e familiares, caso precisem, a fumar do lado de fora, longe de janelas ou portas abertas.
  • Não frequente lugares onde as pessoas estejam fumando. Se você estiver em uma área pública onde é permitido fumar, fique numa área ventilada para não fumantes.
  • Se seus familiares fumam, sugira que eles parem.
  • Se você ou um familiar tiverem dificuldades para parar de fumar, converse com seu médico sobre como obter ajuda.
  • Participe ou sugira que seu familiar participe de um grupo de apoio para parar de fumar.

Embora existam leis sobre tabagismo em todo o país, é preciso proteger a saúde de todas as pessoas, especialmente as crianças. A educação continuada nas escolas e no local de trabalho pode ajudar a esclarecer o assunto. Todo indivíduo tem o direito de respirar ar limpo e fresco, livre dos efeitos nocivos do fumo passivo.

Fonte: Health Risks of Secondhand Smoke



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive