top
Pacientes

Colunistas


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Boehringer Eisai Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Medtronic Takeda Susan Komen Astellas UICC


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Quatro Cirurgias e Nenhum Funeral

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 07/03/2017 - Data de atualização: 07/03/2017


Como dizem por aí, o ano só começa após o carnaval. E para mim não foi diferente. Não que os 2 primeiros meses não tenham sido intensos, pois em tão pouco tempo tivemos o nascimento da Ana Clara, minha nova sobrinha, e a notícia de câncer de minha mãe, que agora em primeira mão comunico: JÁ VENCEU!! Não é uma força de expressão, mas uma constatação clínica: a cirurgia foi tão bem sucedida que ela está CURADA do câncer, e não precisará sequer de quimio e radioterapia para consolidar o tratamento. É Deus agindo mais uma vez grandiosamente nas nossas vidas.

Vencida esta etapa, a missão de Deus agora será literalmente a de "operar” em nossas vidas. Sim, nada menos que 4 cirurgias em sequência.

A primeira delas a instalação de uma prótese de quadril na perna esquerda. Tive decretada a "morte” da cabeça femoral, e assim como um carro usado, é hora de trocar por uma "brand new”. Segue imagens de como será o Projeto "Robocop” 2017:



Tem uma parte curiosa nessa história. Isso porque meu amigo e médico Leandro Bragante, o papa (e o cara) das próteses de quadril, disse que um dos modelos que poderia optar tinha 5% de chances de ficar fazendo um rangido. Na hora de sentar "nhec”, na hora de levantar "nhec”, na hora de namorar "nhec, nhec,  nhec”. Pensei cá com meus botões: "Tem outra não, chefe??” Sim, havia outra, que substitui a cabeça do fêmur por uma "peça” (vamos chamar assim) de cerâmica e a haste de polietileno (plástico, para os "ingnorantes” como eu), evitando os constrangedores atritos. Como eu sei que 5% para mim tem sido muito, por respeito profundo à Lei de Murphy, preferi a opção "desNHECada”.

A primeira cirurgia será na próxima terça-feira, 7/3, e aí que entram – literalmente – vocês:

Isso porque como minha imunidade não é uma BRASTEMP, minha médica em São Paulo recomendou 2 transfusões antes de "entrar na faca”.

Peço humildemente que quem puder fazer a doação de sangue e plaquetas esta semana no Hemocentro de Uberlândia, o faça, não só para repor as bolsas que serão disponibilizadas, mas especialmente para reforçar o estoque do Hemocentro, que está no nível "Cantareira” em razão do Carnaval (redução da oferta e aumento da procura). Quem for, se puder, mandar uma foto para contato@salvemaisum.com.br com o símbolo da nossa campanha, como o fazem nossos apoiadores, e que funcionam como forte instrumento para mobilizarmos mais pessoas. Nada melhor que as imagens. Põe na tela:



Você que não é de Uberlândia, e ainda não é um doador frequente, aproveite a deixa para fazer a sua doação na sua cidade. Os estoques estão baixos no país inteiro. Indicador pra cima, e vamos à luta! Oportunidade ideal para agradecer demais o carinho e dedicação que o pessoal do Hemocentro sempre teve comigo, em especial nos últimos dias pelo empenho da Ludmilla e do anjo Dr. Elmiro em relação a minha situação. GRATIDÃO, é a palavra.

Voltando às operações, após recuperação, terei que fazer também a prótese na perna direita, pois a abençoada da cabeça do outro fêmur também já está no CTI, graças ao uso prolongado de corticoides, lembram?

O fato é que, trocados os "amortecedores”, a próxima revisão será daqui uns 40 anos ou 40 mil quilômetros, o que vier primeiro. Hahaha. Brincadeiras à parte, a durabilidade deste tipo de prótese realmente pode ser para o resto da vida. O tempo de recuperação pós-cirúrgico varia, mas em não muito tempo estarei na ativa novamente. Quem tiver curiosidade para entender mais sobre próteses, veja neste link.

E as outras 2 cirurgias? Não eram 4? Pois é, resolvi conhecer as Cataratas, não as do Iguaçu, mas a que se entende pelo Cumpadi Aurélio como "opacidade parcial ou total do cristalino ou de sua cápsula”.  Não melhorou? "Neblina nos zóio” talvez seja a tradução mais clara.

Também decorrente do uso de corticoides, as cirurgias da catarata, assim como as da osteonecrose, tem que ser divididas em 2 por segurança, 1 olho por vez.

O plano de saúde quer autorizar a lente monofocal, que me demandaria limitação permanente de leitura para perto. Como a minha indicação é para melhorar a visão, e não para piorá-la, está indicada a lente multifocal, que corrige a catarata e mantém a boa visão que tinha antes da indesejada visita nublada. Estas últimas são cirurgias mais simples, de recuperação rápida. Ah, sabem quanto custam estas lentes? Os olhos da cara... 

Então é isso. Lembrando o clássico "Quatro Casamento e Um Funeral”, aqui seremos "Quatro Cirurgias e Nenhum Funeral”, até porque assim como as outras 18 doenças que tive após o transplante em razão da nova imunidade, estas são "fichinha” perto do que já ficou para trás. É redobrar a fé em Deus, organizar a vida e partir para o abraço. Conto com a (do)ação e  (or)ação de vocês! #salvemaisum #oncoguia #ação  

Fiquem com Deus, e vamos adiante.
Gabriel Massote


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2017 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive