Tipos de Câncer

Câncer de Estômago

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Estatística para Câncer de Estômago

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 24/05/2014 - Data de atualização: 17/02/2020


O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que para cada ano do triênio 2020/2022, sejam diagnosticados no Brasil 21.230 novos casos de câncer de estômago (13.360 em homens e 7.870 em mulheres). Esses valores correspondem a um risco estimado de 12,81 casos novos a cada 100 mil homens e 7,34 para cada 100 mil mulheres. Entre homens, é o quarto tipo mais incidente e o sexto entre as mulheres.

O câncer de estômago afeta principalmente as pessoas mais velhas, sendo a idade média do diagnóstico aos 68 anos. Cerca de 60% dos pacientes com câncer de estômago têm 65 anos ou mais. O risco médio de um homem desenvolver câncer de estômago em sua vida é cerca de 1 em 95, para as mulheres esse risco é de 1 em 154. Os riscos individuais podem ser influenciados por alguns outros fatores. Para saber mais, acesse nosso conteúdo sobre Fatores de Risco para Câncer de Estômago.
http://www.oncoguia.org.br/conteudo/fatores-de-risco-para-cancer-de-estomago/5613/1137/

Nos EUA, o número de novos casos de câncer de estômago diminuiu aproximadamente 1,5% ao ano nos últimos 10 anos. O câncer de estômago é muito mais comum nos países menos desenvolvidos, sendo uma das principais causas de morte relacionada ao câncer no mundo.

Até o final da década de 1930, o câncer de estômago foi a principal causa de morte por câncer nos Estados Unidos. Atualmente, já não está mais entre as primeiras causas de morte, entretanto, as razões para esta diminuição não são completamente conhecidas, mas podem estar ligadas a um aumento da utilização de sistemas de refrigeração para o armazenamento de alimentos. Isso permitiu a disponibilidade de mais frutas e vegetais frescos, diminuindo o consumo de alimentos salgados e defumados. Alguns pesquisadores acreditam que esse declínio também possa estar relacionado ao uso de antibióticos no tratamento de infecções, como o  Helicobacter pylori (H. pylori), que é uma das principais causas do câncer de estômago.

Fontes:



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive