Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Pós-pandemia terá aumento expressivo de câncer, alerta oncologista

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 03/06/2020 - Data de atualização: 03/06/2020


O número de pacientes que buscam diagnóstico e tratamento para o câncer deve registrar aumento expressivo com o retorno às atividades cotidianas, após o isolamento social provocado pela pandemia da covid-19. “Tantos os serviços públicos, como as instituições privadas, deverão ser impactadas por esse crescimento. Durante a pandemia, muitos pacientes deixaram de seguir o tratamento e outros adiaram o diagnóstico”, esclarece Ramon Andrade de Mello, médico oncologista.

O especialista explica que uma parcela significativa dos pacientes deixou de fazer diagnóstico e tratamento devido às preocupações com contágio pela covid-19. “Isso pode ter um reflexo negativo muito grande no futuro. Os casos de tumores cancerígenos, por exemplo, têm melhores condições de ser tratados no início da doença. O adiamento de três meses ou mais pode reduzir drasticamente as chances de melhoria da saúde desses pacientes”, detalha Ramon Andrade de Mello.

Dados de instituições médicas ligadas ao diagnóstico e tratamento do câncer apontaram que, desde março até abril, houve redução significativa de procedimentos nesses centros especializados. O Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), por exemplo, registrou queda de 30% no número de pacientes novos que procuram a instituição. Os dados das Sociedades Brasileiras de Patologia e de Cirurgia Oncológica apontam ainda queda de 70% das cirurgias.

“O pós-pandemia pode sobrecarregar os serviços de oncologia de todo o país. Apesar de ser uma emergência, muitos pacientes ignoraram inclusive orientação médica e adiaram o tratamento contra o câncer”, analisa o especialista. Segundo ele, o mesmo ocorreu na Holanda, que adotou critérios para que os pacientes voltassem ao tratamento: “Por isso, qualquer adiamento deve ser conversado com o médico que acompanha o paciente”.

Fonte: Folha Vitória

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive