Núcleo de

Advocacy

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Planos são obrigados a oferecer 8 novos medicamentos para quimioterapia oral

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 19/01/2018 - Data de atualização: 19/01/2018


A partir deste mês de janeiro, as operadoras de planos de saúde são obrigadas a oferecer oito novos medicamentos quimioterápicos por via oral. O Oncoguia participou ativamente dessa conquista e comemora mais um avanço pelo bem-estar do paciente, pois a quimioterapia oral pode ser administrada com maior conforto, em casa.

Os novos medicamentos são: Afatinibe e Crizotinibe, para câncer de pulmão avançado ou metastático; Dabrafenibe, para melanoma metastático ou irressecável; Enzalutamida, para câncer de próstata metastático resistente; Everolimo, para tumores neuroendócrinos avançados; Ruxolitinibe, para mielofibrose de risco intermediário ou alto; Ibrutinibe, para leucemia linfocítica crônica com deleção 17p; e Tramatinibe, para melanoma não ressecável ou metastático com mutação BRAF V600.

A inclusão de quimioterapias orais nos planos de saúde tem sido uma bandeira do Instituto Oncoguia junto ao poder público. A Lei dos Planos de Saúde (9.656/98) excluía a obrigação de fornecer medicamentos de uso domiciliar, até que o projeto de lei 352/2011, fundamentado pelo Oncoguia, alterou a legislação vigente para que tratamentos antineoplásicos de uso oral em domicílio pudessem estar entre as coberturas obrigatórias. Desde então tem sido possível incluir novos medicamentos com essa finalidade.

Saiba mais sobre as reivindicações do Instituto Oncoguia.

Também passa a ser oferecido exame PET-CT para diagnóstico de tumores neuroendócrinos e exame laboratorial para identificação de mutação no gene ALK, para detecção de proteína que pode estar presente em pacientes com câncer de pulmão. Detectar a mutação relacionada ao câncer auxilia na definição do melhor tratamento a ser oferecido ao paciente.

O rol é para ser cumprido!

Caso a operadora não cumpra o que está previsto no rol de procedimentos, o consumidor pode entrar em contato com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que regula os planos de saúde do Brasil, pelo telefone 0800 701 9656. Fale também com o Instituto Oncoguia, pelo e-mail institutooncoguia@oncoguia.org.br.

A atualização do rol incluiu ainda 18 novos procedimentos que devem ser oferecidos pelos planos, entre exames, terapias e cirurgias que atendem diferentes especialidades, e a ampliação de procedimentos que já vinham sendo oferecidos. Pela primeira vez, foi incorporado um medicamento para tratamento da esclerose múltipla.

Veja as últimas atualizações rol.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2018 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive