Núcleo de

Advocacy

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

PL que cria o Estatuto da Pessoa com Câncer recebe parecer

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 11/10/2019 - Data de atualização: 11/10/2019


O que houve?

A deputada Silvia Cristina (PDT-RO) apresentou parecer favorável ao Projeto de Lei n° 1.605/19, de autoria do deputado Eduardo Braide (PMN-MA), que institui o Estatuto da Pessoa com Câncer. A matéria atualmente tramita na Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF) da Câmara dos Deputados.

Em seu parecer, a deputada explicou que o PL n° 1.605/19 é conveniente e oportuno para a melhoria do direito à saúde. Porém, destacou ser necessário modificar a redação dada ao §3º do art. 4º.

A alteração foi proposta pelo Instituto Oncoguia, em audiência pública que discutiu o tema, e através de oficio encaminhado à deputada. Na oportunidade, o Instituto Oncoguia debateu a necessidade da revisão do texto do dispositivo com a consequente supressão do termo "câncer clinicamente ativo". Destacou também a necessidade de alteração do dispositivo que previa a forma de se atestar tal condição.

O texto apresentado pelo deputado Eduardo Braide exigia que dois diferentes médicos especialistas e vinculados ao SUS atestassem a condição do câncer ser  "clinicamente ativo". Para a deputada, tal exigência é muito rigorosa e desproporcional.

Por isso, a relatora apresentou emenda ao texto, suprimindo o termo "câncer clinicamente ativo", conforme sugestão do Oncoguia e conferindo nova redação ao dispositivo, ficando assim disposto: 

"Art. 4º....  §3º Para os efeitos desta lei, considera-se pessoa com câncer aquela que tenha o regular diagnóstico, nos termos de relatório elaborado por médico devidamente inscrito no Conselho profissional, acompanhado pelos laudos e exames diagnósticos complementares necessários para a correta caracterização da doença"

O relatório da Deputada Silvia Cristina mantém sem alterações os demais artigos do PL n° 1.605/19. O projeto define como princípios essenciais à proteção dos direitos da pessoa com câncer: o diagnóstico precoce; o estímulo à prevenção; a transparência das informações prestadas; e o acesso universal e equânime ao tratamento; entre outros. O objetivo do Estatuto, conforme o projeto, será garantir o pleno exercício dos direitos sociais da pessoa com câncer, promovendo mecanismos adequados para o diagnóstico precoce; tratamento adequado, atual e menos nocivo ao paciente; e a formação, qualificação e especialização de recursos humanos envolvidos no processo; entre outros.

O projeto também proíbe todo e qualquer tipo de negligência, discriminação ou violência praticados contra a pessoa com câncer. Considera-se discriminação qualquer distinção, restrição ou exclusão em razão da doença. O PL n° 1.605/19 ainda prevê tratamento especial às crianças e adolescentes com câncer em todas suas fases, devendo ser garantido tratamento universal e integral, priorizando a prevenção e o diagnóstico precoce.

Outro projeto, o PL n° 2.180/19, do deputado Rafael Motta (PSB-RN), tramita em conjunto com o PL n° 1.605/2019. A deputada Silvia Cristina recomendou, em seu parecer, a rejeição do PL n° 2.180/19, que obriga hospitais, clínicas, consultórios médicos e estabelecimentos congêneres, públicos ou privados, que atendam pacientes em tratamento de câncer, a fixarem cartaz informativo sobre os direitos da pessoa diagnosticada com câncer. Esta também foi uma sugestão enviada pelo Insituto Oncoguia à relatora, com justificativas. Ambos entendem que esse tipo de comunicação deve ser feita diretamente com o paciente, no âmbito da relação médico-paciente e pelo serviço de assistência social das unidades especializadas.

E Agora?

O parecer da relatora, deputada Silvia Cristina (PDT-RO), pela aprovação do PL n° 1.605/19, com emenda, e pela rejeição do PL 2180/2019, será analisado pela Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF). Após análise da CSSF, o projeto seguirá para a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) em decisão terminativa. Ou seja, caso não seja apresentado recurso solicitando que a matéria seja apreciada pelo Plenário, o projeto seguirá para análise do Senado Federal.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive