Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Para 'quebrar estigma', atriz de Desperate Housewives conta como sobreviveu ao câncer anal

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 28/03/2019 - Data de atualização: 28/03/2019


Marcia Cross, 57, falou à revista People sobre como superou a doença, e também a vergonha em falar abertamente sobre ela.

Cross ganhou fama após participar da série Desperate Housewives. Nela, interpretou a conservadora dona de casa Bree Van de Kamp, e no papel, foi indicada ao Emmy e ao Globo de Ouro. A série terminou em 2012 após oito temporadas.

Em 2017, Marcia Cross descobriu a doença durante um exame de rotina no ginecologista. Após duas biópsias, o câncer foi confirmado, e deu-se início a um tratamento de seis semanas com radio e quimioterapia.

Cross disse que, após ler sobre o difícil tratamento que teria de fazer, ela decidiu procurar o humor em tudo.

"No começo, eu me deitava para começar o exame e deixava a mente viajar", diz, entre risos. "O que mais você pode fazer?"

Apesar da experiência traumática, hoje Marcia fala sobre a doença de maneira descontraída, sem poupar detalhes constrangedores, porém divertidos.

"Eu li muitas histórias de sobreviventes do câncer, e muitas pessoas, principalmente mulheres, tinham vergonha de dizer qual tipo de câncer elas tinham", conta. "Existe muita vergonha sobre isso. Eu quero que [a vergonha] acabe."

A atriz também chamou atenção para os sintomas – que incluem sangramento no ânus, dor, coceira e nódulos. Ela fala sobre a importância de falar sobre qualquer desconforto com um médico.

"Se algo não parece certo, ouça seu corpo e fale com seu médico. Não ignore", pede Cross. "É um câncer muito curável se for diagnosticado cedo, como foi o meu".

Fonte: Metro Jornal

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive