Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Pandemia da Covid-19 ampliou os riscos do tabagismo

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 24/08/2020 - Data de atualização: 24/08/2020


No próximo dia 29 de agosto, é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Fumo. O Brasil já tem o que comemorar, pois segundo dados do Ministério da Saúde, nos últimos doze anos houve uma redução de 40% no consumo de tabaco no país. No entanto, as campanhas que alertam contra os riscos do tabagismo ainda são essenciais, principalmente neste momento de pandemia quando o aumento do estresse tem levado os fumantes a consumirem mais cigarros por dia.

De acordo com um estudo realizado pela UFMG, em parceria com a Universidade Estadual de Campinas (ConVid Pesquisa de Comportamentos), no qual foram ouvidos mais de cinco mil fumantes, 22,8% aumentou em dez cigarros seu consumo diário, 6,4% em até cinco e 5,1% em 20 ou mais cigarros.

“Estes dados de aumento de consumo de tabaco na pandemia são alarmantes, pois além de ser uma das principais causas de diversos tipos de cânceres, o cigarro também provoca uma série de outras doenças como as doenças pulmonares obstrutivas, asmas e outros problemas respiratórios que são comorbidades bastante graves em pacientes com Covid-19”, explica a médica oncologista do Instituto de Oncologia do Vale, Dra. Cristiane Dias Bittencourt.

E não é somente os fumantes que estão sofrendo com os efeitos nocivos do tabagismo durante a pandemia. Os familiares, que são os fumantes passivos, também estão sendo fortemente impactados.

“Como as pessoas estão ficando mais tempo em casa, elas têm mais tempo ocioso, a ansiedade aumentou muito e com isso elas recorrem mais o cigarro e expõe mais os familiares à fumaça”, explica Dra. Cristiane.

“O importante é a pessoa se conscientizar dos ganhos de qualidade de vida e começar a adotar novos hábitos. Iniciar a prática de atividades físicas e aumentar a ingestão de água, por exemplo, são iniciativas simples que podem ajudar. Além disso, se houver necessidade, é importante buscar também ajuda especializada com médicos e psicólogos”, explica a médica.

O Instituto de Oncologia do Vale, por meio de sua equipe multiprofissional, como parte de sua missão de combater o impacto do câncer na vida das pessoas, realiza anualmente no Parque Vicentina Aranha um evento em comemoração ao Dia Nacional de Combate do Fumo, a ação Viva + Sem Cigarro. Neste ano, devido à pandemia da Covid-19, o evento no parque não será realizado, mas estão previstas ações informativas nas unidades de quimioterapia e radioterapia, bem como no site e nas redes sociais da instituição. Saiba mais sobre a campanha no site e nas redes sociais do IOV.

Responsável Técnico: Dr. Carlos Flávio Turci – CRM-SP27301

Fonte: G1

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive