top
Especial

Prevenção

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Boehringer Eisai Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Medtronic Takeda Susan Komen Astellas UICC


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Mitos e Verdades sobre o Câncer de Pulmão

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 07/01/2013 - Data de atualização: 30/04/2016


O tabaco causa apenas câncer de pulmão.

Mito - Fumar é a principal causa do câncer de pulmão, laringe, faringe, cavidade oral e esôfago. Também contribui para o surgimento do câncer de bexiga, pâncreas, útero, rim, estômago e intestino, além de algumas formas de leucemia.

Charutos e cachimbos provocam menos câncer de pulmão que cigarros comuns?

Mito - Tanto os cigarros como os charutos e fumo para cachimbos consistem em folhas de tabaco secas e mais de 5.700 substâncias. Como há mais fumantes de cigarros do que de charutos e cachimbos, a ocorrência de câncer de pulmão pelo consumo de cigarro é maior, no entanto charutos e cachimbos são igualmente perigosos.

Baixo teor de alcatrão ou cigarros "light” são mais seguros do que os cigarros comuns.

Mito - Cigarros light, ultra light e com baixo teor de alcatrão são tão perigosos quanto cigarros comuns. Muito cuidado com aditivos de sabores com menta, algumas pesquisas sugerem que os cigarros mentolados podem ser mais perigoso e mais difíceis de parar de fumar. A sensação de frescura faz com que os fumantes inalem com mais força e mais profundamente.

Fumar maconha não aumenta o risco de câncer de pulmão.

Mito - Fumar maconha pode aumentar risco de câncer de pulmão, mas é necessário a realização de mais pesquisas para comprovação científica. Muitas pessoas que usam maconha também fumam cigarros, e existe evidência que o uso combinado pode aumentar o risco para câncer de pulmão.

Se você fumou por anos, o estrago já está feito.

Mito - Nunca é tarde demais para parar de fumar. Parar de fumar tem benefícios quase imediatos, incluindo melhor circulação sanguínea e da função pulmonar. O risco de câncer de pulmão começa a diminuir ao longo do tempo. Dez anos após parar de fumar, ex fumantes diminuem o risco de desenvolver câncer de pulmão em até 50%.

Fumar o único fator de risco para câncer de pulmão.

Mito - A segunda causa de câncer de pulmão, após o fumo do tabaco, é um gás inodoro e radioativo denominado radônio. Emitido a partir de rochas e do solo, pode infiltrar-se em casas e outros edifícios. A única maneira de saber se você está vivendo com níveis perigosos é testar a presença da substância em sua casa ou escritório.

Respirar talco em pó provoca câncer de pulmão.

Mito - Os pesquisadores não encontraram nenhuma associação entre o câncer de pulmão e a inalação de talco. No entanto, a exposição ocupacional ao asbesto, arsênico e outras substâncias aumenta o risco de câncer de pulmão.

Quem não fuma pode ter câncer de pulmão.

Verdade - O câncer de pulmão pode também ocorrer em pessoas que nunca fumaram.

Câncer de pulmão é uma doença frequente.

Verdade - O câncer de pulmão é o um dos tipos mais frequentes de câncer no mundo.

O câncer de pulmão é uma doença grave.

Verdade – A doença é muito mais grave quando é diagnosticada tardiamente, como ocorre com qualquer outro tipo de câncer. Quanto mais precocemente diagnosticada mais chances de cura da enfermidade.

O câncer de pulmão só acomete homens.

Mito - Afeta ambos os sexos. E a proporção de mulheres vem aumentando nas últimas décadas devido ao aumento do consumo de tabaco.

Fumante passivo não tem risco de ter câncer de pulmão.

Mito - O fumante passivo pode desenvolver câncer de pulmão em 25% dos casos, além de outras doenças como bronquite crônica e enfisema pulmonar.

A poluição atmosférica é uma causa de câncer de pulmão.

Verdade - Fumar é a principal causa do câncer de pulmão. Mas, a poluição atmosférica foi reconhecida como um agente causador de câncer pela Organização Mundial de Saúde e das 3,2 milhões de mortes em todo o mundo, 223.000 são de câncer de pulmão.

Se diagnosticado com câncer de pulmão, parar de fumar é inútil.

Mito - Continuar fumando diminui a eficácia do tratamento de câncer e pode piorar os efeitos colaterais. Os fumantes submetidos a cirurgia, por exemplo, têm mais problemas de cicatrização do que ex-fumantes. Quem fuma enquanto faz radioterapia para câncer de laringe é menos propenso a recuperar a qualidade de voz normal. Para de fumar pode reduzir o risco de um segundo câncer.

Exercício físico não afeta o risco de câncer de pulmão.

Mito - Atividade física regular pode reduzir o risco de câncer de pulmão em 20% ou mais. Além disso, o exercício melhora a função pulmonar e reduz o risco de outras doenças, incluindo doença cardíaca e derrame.

O câncer de pulmão tem cura?

Verdade - O câncer de pulmão, quando diagnosticado precocemente tem chances de cura, mas, devemos lembrar que devido à ausência de sintomas específicos é um tipo de câncer normalmente diagnosticado em fase avançada, por isso a recomendação é evitar o fator de risco mais importante que é o consumo de tabaco.


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2017 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive