Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Fevereiro Laranja: mês de prevenção e combate à leucemia

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 03/02/2021 - Data de atualização: 03/02/2021


Desde 2019, este mês é denominado Fevereiro Laranja, sendo destinado a conscientização aos sinais e sintomas da leucemia, doença maligna dos glóbulos brancos de origem desconhecida. A principal característica é o acúmulo de células doentes na medula óssea. Em Pernambuco,  o Grupo de Ajuda à Criança Carente com Câncer (GAC) informa a população sobre o câncer e seus tipos, além de reforçar o diagnóstico precoce, pois, com ele, as taxas de cura aumentam. Há 23 anos o GAC-PE oferece assistência social humanizada às crianças, adolescentes e jovens que perseveram valentemente contra o câncer.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), há mais de 10 tipos de leucemia, mas os quatro principais são: leucemia mieloide aguda (LMA) – mais comum no adulto, leucemia mieloide crônica (LMC), leucemia linfóide aguda (LLA) – mais frequente em crianças, correspondendo a 26% de todos os tumores malignos - e leucemia linfóide crônica (CLL). Cada tipo conta com um diferente tratamento que pode ser transfusão de sangue, quimioterapia e transplante de medula óssea.

Em março do ano passado, a dona de casa Marília Lima, moradora do bairro da Imbiribeira, recebeu a notícia mais difícil da sua vida: aos quatro anos de idade, sua filha, Maria Júlia, foi diagnosticada leucemia linfóide aguda, tipo de câncer que acomete a medula óssea. Em meio à pandemia da Covid-19 a pequena Júlia precisou ser internada para começar o tratamento no Centro de Oncologia e Hematologia Pediátrica (CEONHPE), no Hospital Oswaldo Cruz. O GAC-PE participa ativamente na vida da criança com a humanização do tratamento e no cuidado e acolhimento para encarar as dificuldades.

“A rotina e os cuidados com Júlia são totalmente diferentes de outras crianças. A alimentação dela é diferente da minha e do seu pai, como por exemplo o molho de tomate que é feito em casa”, conta. “Além disso, limpeza constante na casa, cuidado redobrado com a higiene pessoal, evitar correr e pular, entre outros”, considera Marília. 

De acordo com a médica oncologista pediátrica e presidente do GAC-PE, Vera Morais, os sinais e sintomas mais comuns são: febre, palidez, sangramento em qualquer local do corpo, feridas na pele (podendo até ser confundida com dengue), falta de ar e aumento do volume do abdome gânglios e adenomegalias. “A leucemia tem um grande índice de cura se comparado aos outros tipos de câncer. O diagnóstico precoce é fundamental para os resultados positivos que se deseja obter”, pontua a Dra. Vera Morais.

Fonte: Diário de Pernambuco

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive