Tratamentos

Oncologia de Precisão (Medicina Personalizada)


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Efeitos Colaterais da Terapia Alvo em Oncologia de Precisão

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 27/02/2015 - Data de atualização: 27/02/2015


Causas dos Efeitos Colaterais

Embora a terapia alvo não afete o corpo da mesma maneira que os medicamentos quimioterápicos convencionais, ainda podem provocar efeitos colaterais. Existem muitos tipos diferentes de drogas alvo, e os efeitos colaterais dessas drogas dependem, em grande parte, do alvo a ser atingido. Alguns desses medicamentos alvo possuem substâncias que são mais comuns de encontrar em células de câncer, mas também são encontrados em células saudáveis. Estas drogas também podem afetar essas células saudáveis causando efeitos colaterais.

Alguns tipos de drogas alvo dirigidas parecem causar mais efeitos colaterais do que outras. Por exemplo, quando as drogas atuam em mais de um alvo, o aparecimento de efeitos secundários é mais provável. Os fármacos que atuam como inibidores da angiogênese afetam o crescimento de novos vasos sanguíneos em todo o corpo, não apenas perto do tumor, o que pode levar a efeitos colaterais. Algumas drogas que melhoram o sistema imunológico, por vezes, podem atacar outras partes do corpo, o que também pode levar a efeitos colaterais.

O que se deve saber sobre os Efeitos Colaterais?


Nem todas as pessoas têm todos os efeitos colaterais, algumas pessoas têm poucos, se houverem.
 
A severidade dos efeitos colaterais pode variar grandemente de droga para droga e de pessoa para pessoa. Certifique-se de falar com seu médico sobre quais efeitos são mais prováveis de aparecer durante seu tratamento, qual o tempo de duração, quão ruins podem ser e quando você deve entrar em contato com ele. Seu médico pode lhe prescrever medicamentos para evitar alguns desses efeitos antes que eles aconteçam ou para tratá-los, uma vez que eles ocorram. Efeitos secundários raros e incomuns podem acontecer com alguns medicamentos e em alguns casos podem ser sérios. Todas as alterações e efeitos colaterais devem ser comunicados ao seu médico. Embora os efeitos colaterais possam ser desagradáveis, os menos severos devem ser pesados contra a necessidade de combater o câncer.

Tempo de Duração dos Efeitos Colaterais

A maioria dos efeitos colaterais desaparecem ao longo do tempo uma vez terminado o tratamento e as células saudáveis se recuperam. O tempo necessário para alguns efeitos colaterais terminarem e recuperar a energia varia de pessoa para pessoa. Isso depende de muitos fatores, incluindo seu estado de saúde geral e os medicamentos que lhe foram prescritos.

Como muitos medicamentos alvo são ainda bastante novos, é difícil dizer quanto tempo os efeitos colaterais podem durar. Sabemos que alguns dos efeitos da quimioterapia convencional podem durar uma vida, por exemplo, quando a droga provoca danos a longo prazo ao coração, pulmões, rins ou órgãos reprodutivos. Ainda não se sabe se a terapia alvo pode provocar esse tipo de alterações de longo prazo.

Os pacientes muitas vezes desanimam ao saber quanto tempo vai durar seu tratamento ou os efeitos colaterais que eles podem ter Se você se sente assim, converse com seu médico. Você pode eventualmente mudar seu cronograma de tratamento. Seu médico poderá sugerir formas de reduzir alguns problemas ou desconforto.

Efeitos Colaterais

Antes do início do tratamento, a maioria das pessoas se preocupa se terão efeitos colaterais e, em caso afirmativo, como ficarão. Alguns dos efeitos colaterais mais comuns e severos causados por medicamentos alvo são:

  • Problemas de Pele

Alguns medicamentos alvo, especialmente os inibidores do EGFR, podem causar erupções cutâneas ou outras alterações na pele. Esses problemas geralmente se desenvolvem lentamente ao longo de dias a semanas.

  • Aumento da Pressão Arterial

Alguns medicamentos alvo, especialmente os inibidores da angiogênese, podem elevar a pressão arterial. Não existe realmente algo que você possa fazer para evitar isso, mas seu médico acompanhará sua pressão arterial de perto se você estiver recebendo uma droga que pode causar este efeito colateral. Algumas pessoas precisam de remédios para levar a pressão arterial a níveis seguros durante o tratamento. Eles devem tomar  esses medicamentos até que o médico indique sua interrupção.

  • Hemorragia e Coagulação

Inibidores da angiogênese interferem com o crescimento de novos vasos sanguíneos. Isto pode levar a problemas como hematomas e sangramento. Sangramento, gástrico ou intestinal podem ser muito sérios e até fatais. Informe seu médico em caso de apresentar vômitos com sangue ou resíduos que se pareçam com borra de café, ou se apresentar fezes escuras ou pretas ou presença de sangue vermelho brilhante em suas fezes. Estes podem ser sinais de hemorragia no estômago ou intestinos.

Estes medicamentos também podem causar coágulos de sangue nos pulmões e pernas, bem como infartos e derrames. Comunique seu médico se você apresenta inchaço súbito, dor ou sensibilidade no braço ou perna. Se você tem dor no peito, falta de ar súbita, problemas de visão, fraqueza, convulsões ou dificuldade para falar, deve procurar assistência de emergência. Estes podem ser sinais e sintomas importantes causados ​​por coágulos sanguíneos.

Essas alterações não são comuns, e não há como evitá-los. Se algo parecido acontecer, é possível que necessite parar de tomar a droga alvo.

  • Cicatrização

Ao bloquear o crescimento de novos vasos sanguíneos, os inibidores da angiogênese também interferem com a cicatrização. Isso pode levar a feridas (cortes) antigas a se abrirem novamente e feridas recente não fecharem. Pode igualmente provocar perfuração no estômago ou no intestino. Informe seu médico imediatamente se você apresentar dor abdominal ou vômitos.

Como estas drogas podem afetar a cicatrização de feridas, geralmente precisam ser suspensas antes de qualquer cirurgia eletiva, incluindo procedimentos odontológicos. Converse com seu médico assim que você tiver uma cirurgia programada ou outro procedimento para que você possa saber o que fazer.

  • Problemas Cardíacos

As drogas inibidoras HER2 podem afetar o coração, especialmente se usadas junto ​​com alguns medicamentos quimioterápicos. Seu médico provavelmente realizará testes de sua função cardíaca antes do início do tratamento. Possíveis sintomas de lesões cardíacas podem incluir dor no peito, aumento da tosse, dificuldade para respirar (especialmente à noite), ganho de peso rápido, tontura, desmaios ou inchaço nos tornozelos e pernas. Informe seu médico imediatamente se você começar a notar algum destes sintomas uma vez iniciado  seu tratamento.

  • Reações Autoimunes

Medicamentos chamados inibidores do checkpoint imune trabalham basicamente liberando os freios do sistema imunológico do corpo. Isso pode levar a efeitos colaterais graves se o sistema imunológico começa a atacar outras partes do próprio corpo. Em alguns pacientes isso pode causar lesões importantes nos pulmões, intestinos, fígado, pele, olhos, nervos, glândulas endócrinas ou outros órgãos. Isto não é comum, mas em algumas pessoas pode ser muito sério o suficiente para ter a vida ameaçada.

Se você está recebendo uma dessas drogas, é muito importante informar seu médico imediatamente sobre quaisquer novos efeitos colaterais que você está tendo. O tratamento pode ter de ser suspenso.  Em determinados casos alguns pacientes precisam tomar medicamentos para suprimir o sistema imunológico.

Outros Efeitos Colaterais


Outros efeitos colaterais também têm sido associados com o tratamento com alguns medicamentos alvo. Muitos destes efeitos são os mesmos que os observados com os medicamentos quimioterápicos convencionais, incluindo:

  • Náuseas e vômitos.
  • Diarreia ou constipação.
  • Feridas na boca.
  • Falta de ar ou dificuldade para respirar.
  • Tosse.
  • Fadiga.
  • Dor de cabeça.
  • Inchaço nas mãos e nos pés.
  • Danos a órgãos como a glândula tireoide, fígado ou rins.
  • Reações alérgicas.
  • Infecções.
  • Segundo câncer.

Seu médico o acompanhará durante todo o tratamento, fazendo avaliações periódicas. Os efeitos colaterais podem e devem ser tratados o mais precocemente possível. É importante que você relate ao seu médico sobre quaisquer alterações na forma como você se sente ou qualquer coisa nova ou incomum que você note.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive