COVID-19

Coronavírus


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Cuidando de um paciente oncológico durante a pandemia do coronavírus

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 07/04/2020 - Data de atualização: 07/04/2020


Cuidar de alguém com câncer tornou-se uma tarefa ainda mais séria por causa da pandemia do coronavírus. O paciente que você cuida pode ter um risco aumentado de infecção pelo coronavírus e, consequentemente, pode ter a COVID-19, porque o câncer e os tratamentos oncológicos geralmente enfraquecem o sistema imunológico. O paciente pode ter um risco ainda maior se for mais velho ou se tiver uma condição de saúde pré-existente como, por exemplo, diabetes ou hipertensão arterial. Manter-se saudável protege você, cuidador, e o paciente que você está cuidando. Isso significa tomar medidas adicionais para impedir que vocês dois adoeçam.

Pacientes com determinados tipos de câncer, como linfomas, mieloma múltiplo e a maioria dos tipos de leucemia, apresentam maior risco de infecções. Esses cânceres provocam alterações que não permitem que o sistema imunológico responda de forma eficaz. Os pacientes que fizeram cirurgia oncológica e os que estão em tratamento ativo com quimioterapia, radioterapia, terapia-alvo ou imunoterapia também podem ter um risco aumentado. Alguns tratamentos como transplantes de células-tronco ou medula óssea, envolvem a administração de altas doses de medicamentos que podem provocar o enfraquecimento do sistema imunológico a longo prazo. Mas, para a maioria dos pacientes que terminou o tratamento, provavelmente o sistema imunológico já voltou ao normal.

Se você não tem certeza se o paciente que você está cuidando tem um sistema imunológico enfraquecido, pergunte ao médico responsável por ele. Também seria interessante verificar se o seguro do paciente cobre a telemedicina e quais especialidades o atendem dessa forma para ajudar na comunicação entre você, o paciente e a equipe de saúde durante esse período.

Tenha um esquema de emergência pronto para o caso de você, como cuidador, ou de outra pessoa na casa ficar doente.

Reduza o risco da doença

Fique em casa o máximo do tempo possível e tenha contato com o menor número possível de pessoas. Mantenha uma comunicação adequada com o médico e esteja atento para possíveis alterações nos esquemas de tratamento de quem você cuida.

Siga as orientações abaixo para proteger você e o paciente:

  • Não viaje. Siga as orientações municipais e estaduais para viagens, saída de casa e isolamento social. Evite aglomerações e locais públicos. Saia só em caso de urgência. Pergunte ao médico do paciente se as consultas médicas devem ser mantidas ou adiadas. Se você precisar sair, leve álcool em gel com pelo menos 70% de álcool para limpar as mãos e depois lave com água e sabão quando chegar em casa.
  • Se o médico mantiver as consultas de tratamento e seguimento, apenas um cuidador deve acompanhar o paciente. Esse cuidador não deve estar doente ou ter qualquer sintoma de doença.
  • Em casa, use desinfetantes regularmente em objetos compartilhados e tocados por várias pessoas, como maçanetas, telefones celulares, controles remotos, teclados de computador.
  • Se precisar sair, lave as mãos com água e sabão assim que chegar em casa, limpe os itens que trouxe para casa, incluindo sua bolsa, carteira e telefone celular. Deixe os sapatos em um local específico evitando assim entrar com eles em casa.
  • Em casa, lave as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, principalmente antes de comer e antes de tocar em seu rosto.
  • Lave as mãos após usar o banheiro, assoar o nariz, tossir ou espirrar.
  • Lave as mãos após tocar em animais, coletar lixo ou retirar o lixo.
  • Lave as mãos após tocar em itens usados ​​por outras pessoas.
  • Leia mais sobre outras formas de ajudar alguém com câncer a diminuir o risco de infecção.

Se você foi exposto ao coronavírus

Se perceber que foi exposto ao coronavírus, notifique imediatamente o seu médico e a equipe médica do paciente que você está cuidando. Eles o orientarão sobre os próximos passos a serem seguidos.

Se os sintomas do coronavírus se desenvolverem

Se você ou o paciente que está cuidando tiverem sintomas da COVID-19, ligue, imediatamente, para o médico e siga as orientações. Os sintomas mais comuns que precisam de atenção médica são febre, tosse e falta de ar. Algumas pessoas também podem apresentar diarreia ou náusea antes que esses outros sintomas ocorram. Falta de olfato e paladar também são relatados.

Alguns sintomas são mais graves e significam que você precisa de ajuda. Se você perceber os seguintes sintomas em si mesmo ou no paciente que você está cuidando ligue, imediatamente, para o médico. Os sinais e sintomas graves da COVID-19 incluem:

  • Dificuldade para respirar ou falta de ar moderada a intensa.
  • Dor ou pressão constante no peito.
  • Confusão ou dificuldade para acordar.
  • Lábios ou rosto e pontas dos dedos azulados.

Se alguém que vive no mesmo ambiente que o paciente oncológico ficar doente com sintomas leves e o médico pedir para ficar em casa, siga as seguintes orientações:

  • Faça com que a pessoa fique em um quarto separado, longe o máximo possível das outras pessoas que moram na casa.
  • Peça à pessoa que use um banheiro e um quarto separados, se possível, e evite compartilhar itens domésticos, incluindo pratos, talheres, toalhas e roupas de cama.
  • Se tiver máscara facial, peça para a pessoa usá-la quando estiver perto de outras pessoas, devendo manter uma distância mínima de 2 metros. O ideal é o isolamento sem contato algum com nenhuma pessoa dentro de casa.
  • Peça à pessoa que lave as mãos com frequência ou use um desinfetante para as mãos com pelo menos 70% de álcool, se não conseguir usar sabão e água.
  • Lave as suas mãos com frequência, principalmente depois de estar com a pessoa doente, e evite tocar nos olhos, nariz e boca.
  • Limpe regularmente todas as superfícies que foram tocadas com frequência, como mesas, telefones e maçanetas.
  • Lave bem a roupa. Use luvas descartáveis ​​ao lavar roupas, se as tiver. Depois de tirar as luvas, lave as mãos.

O que mais você pode fazer

Qualquer pessoa pode se contaminar com o coronavírus. Mas manter-se informado e ter hábitos saudáveis pode ajudar. Isso vale para você e para a pessoa que está cuidando:

  • Mantenha-se informado sobre as orientações municipais, estaduais e federais para ajudar a orientar suas atividades diárias.
  • Durma bastante. O ideal é que os adultos durmam entre 7 a 9 horas por noite.
  • Faça uma dieta saudável, com muitas frutas, legumes e grãos integrais. Coma menos grãos refinados, carne vermelha e carne processada, sobremesas, laticínios com alto teor de gordura e frituras.
  • Beba mais água, menos bebidas açucaradas e menos álcool.
  • Continue praticando suas atividades físicas regulares.
  • Mantenha contato por telefone ou vídeo com familiares e amigos.
  • Cuide de sua saúde emocional.

Fonte: American Cancer Society (24/03/2020)

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive