Especial

Qualidade de vida


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Como Combater a Secura Vaginal durante o Tratamento Oncológico

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 07/10/2014 - Data de atualização: 15/02/2016


Algumas mulheres durante o tratamento oncológico podem apresentar secura vaginal. A sensação pode ser como uma leve ardência, queimadura, coceira ou secura, que podem tornar as relações sexuais dolorosas e até mesmo causar desconforto em atividades simples como caminhar.

O que provoca a Secura Vaginal?

Cirurgia - A histerectomia radical para tratar o câncer ginecológico invasivo leva a paciente à menopausa. Como resultado existe a queda na produção de estrogênio que causa a secura vaginal com diferentes graus de intensidade. Mulheres do grupo de risco genético para o câncer de mama podem ser submetidas preventivamente para a retirada dos ovários, o que leva a mulher à chamada menopausa cirúrgica.

Quimioterapia - Como efeito colateral da quimioterapia, a mulher na pré-menopausa pode apresentar secura vaginal, pele e boca secas e até mesmo prisão de ventre devido a que o tratamento reduz todos os tipos de secreções. A menopausa temporária, causada pela interrupção da função ovariana durante o tratamento quimioterápico, também pode causar secura vaginal. Nas mulheres cuja menstruação retorna após o tratamento quimioterápico, a produção de estrogênio é restaurada e a secura vaginal apresenta uma melhora.

Radioterapia - Infelizmente, as mulheres que se submetem à radioterapia na região pélvica têm mais chances de apresentar secura vaginal do que as mulheres submetidas a outros métodos de tratamento, mesmo após o término do tratamento. Essa condição pode se tornar crônica e necessitar de prescrição médica para aliviar o sintoma.

Terapia hormonal - As mulheres que tomam hormonioterapia para impedir o crescimento do tumor e a recidiva do câncer de mama, muitas vezes, apresentam secura vaginal, uma vez que essas drogas atuam na inibição da produção de estrogênio no organismo.

Tratamentos para a Secura Vaginal

Existem muitos tratamentos para a secura vaginal, que vão desde os clínicos até os homeopáticos. Antes de começar qualquer medicação, converse com seu médico para ter certeza que não influenciará negativamente no seu tratamento.

Remédios para a secura vaginal sem receita - Os casos leves de secura vaginal podem ser tratados utilizando  produtos (lubrificantes), em forma de creme, gel ou óleo, que são vendidos em drogarias sem a necessidade de receita médica. É muito importante que antes de comprar esse tipo de produto peça orientação ao seu médico.

Produtos sem receita que devem ser evitados - Deve-se evitar o uso de produtos que contenham vaselina como lubrificantes vaginais. O óleo mineral e óleos de cozinha não são recomendados, assim como os remédios caseiros. Hoje, sabe-se que o látex dos preservativos também podem alterar o pH vaginal, causando infecções.

Estrogênio vaginal - O estrogênio vaginal está disponível na forma de creme, supositório, comprimido, e na forma de anel vaginal. Todos são inseridos na vagina e devem ser prescritos pelo médico.

Remédios naturais - Alguns óleos e ervas são utilizadas pelas mulheres para combater a secura vaginal. Novamente, os produtos à base de petróleo podem alterar o pH vaginal e causar infecções. Nem todos os remédios a base de ervas são indicados para uso durante o tratamento oncológico, portanto consulte sempre seu médico.

Evitar
 
Alguns produtos podem piorar a irritação causada pela secura vaginal, por isso deve ser evitado:

•   Sabonetes e banho de espuma com fragrância.
•   Lavar a roupa íntima com sabão que contenha fragrância.
•   Usar calças justas.
•   Usar calcinha de material sintético.


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive