Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Boehringer Bayer Janssen MSD Takeda Astellas UICC Libbs Abbvie Ipsen Sanofi Daiichi Sankyo GSK Avon Nestlé Servier


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Câncer de pulmão: tudo o que você precisa saber

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 08/08/2022 - Data de atualização: 08/08/2022


O câncer de pulmão é o segundo tipo de câncer mais comum no Brasil, contabilizando 30.200 novos casos em 2020 de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), sendo 17.760 homens e 12.440 mulheres. Sendo o mais comum no mundo, em última estimativa global (2012) somaram-se mais de 1,8 milhão de novos casos de câncer no pulmão.

De acordo com o Registro Hospitalar de Câncer (RHC) do Hospital Amaral Carvalho (HAC), um departamento que coleta, processa e analisa as informações de novos pacientes, a unidade registra, em média, 6.612 novos casos de câncer por ano. Destes, 264 (4% do total de novos casos) correspondem aos casos de câncer de pulmão. Ainda segundo o RHC, no período de 2016 a 2020, a proporção dos casos em homens foi de 59,0% e entre as mulheres, 41,0%. Ou seja: de cada dez casos registrados, praticamente seis eram de homens e quatro de mulheres. Já a média de idade, considerando ambos os sexos, foi de 65 anos.

Um dado que preocupa é que, segundo o INCA, no Brasil apenas 16% dos casos de câncer de pulmão são diagnosticados em estágio inicial. No HAC, a situação é ainda mais preocupante: dos casos que chegaram para tratamento, durante o período de 2016 a 2020, apenas 8,9% se apresentaram ainda no início da doença. Esses últimos dados evidenciam a necessidade da detecção precoce de sintomas e o acesso da população às campanhas de prevenção.

Fatores de risco
Com a maior taxa de mortalidade (dos 30.200 novos casos de câncer de pulmão no Brasil em 2020, 28.620 faleceram, segundo dados do Atlas de Mortalidade por Câncer), o tabagismo é o principal fator de risco para o desenvolvimento de câncer no pulmão, responsável por 85% dos diagnósticos.

Outros fatores de risco para a doença são, de acordo com o INCA, o Nacional Cancer Institute e o Centers for Disease Control and Prevention: exposição à poluição do ar, fatores genéticos e histórico familiar, exposição ao fumo passivo e infecções pulmonares de repetição.

Profissionais que trabalham expostos a agentes que interferem no ar e na qualidade respiratória também possuem maior incidência ao câncer de pulmão, como amianto, cromo, níquel, arsênico, fuligem e alcatrão.

Passar por tratamento com radioterapia na mama ou no tórax pode aumentar os fatores de risco de câncer no pulmão, além de sobrevivemos desta doença, que podem desenvolvê-la novamente, principalmente se é fumante.

Sintomas e diagnóstico
A percepção precoce dos sintomas pode levar ao diagnóstico do câncer em sua fase inicial, aumentando a probabilidade de tratamento bem sucedido.

Os principais sinais são: tosse persistente, secreção com sangue pelas vias respiratórias, dor no peito, rouquidão, dificuldade de respirar e cansaço persistente, perda de peso e de apetite.

A partir da identificação dos principais sintomas, a investigação para o possível diagnóstico começa pelo raio-X do tórax, seguido de tomografia.

Detectado tumor, passa-se pela broncoscopia, uma endoscopia respiratória que permite a realização da biópsia (retirada de um pequeno pedaço do tumor para a realização do exame laboratorial). A partir deste momento, são realizados diversos exames para a avaliação do estágio de evolução.

Tratamento
O Hospital Amaral Carvalho (HAC) realiza tratamento completo para câncer de pulmão. Um grupo multidisciplinar é responsável por todas as etapas e geralmente incluem especialistas como oncologista, pneumologista, radioterapeuta, médico nuclear, cirurgião torácico, enfermeiro e fisioterapeuta.

A modalidade de tratamento é específica, considerando cada caso e estágio da doença, podendo ser cirúrgico, com quimioterapia e radioterapia, sendo combinados de acordo com cada caso.

Prevenção
Por estar fortemente atrelada ao hábito de fumar, a morte por câncer de pulmão é considerada uma das mais prováveis de evitar desde o século XX. Por isso, a principal atitude preventiva é não fumar, nem ativo ou passivamente, seja cigarros, narguilé ou dispositivos eletrônicos.

Também se recomenda manter uma alimentação saudável e boa prática de atividades físicas, sendo esses hábitos benéficos para a saúde e preventivos para qualquer tipo de câncer.

Serviço
O HAC é referência em tratamento oncológico, pioneiro no interior paulista especializado em câncer.

Em média, a Instituição atende anualmente 70 mil pacientes, vindos de todos os estados do País. São mais de um milhão de procedimentos realizados, como radioterapia e quimioterapia, e quase 20 mil cirurgias por ano. O Hospital também possui apoio social aos pacientes e seus acompanhantes, oferecendo diárias de hotelaria e refeições em suas casas de apoio.

Fonte: SEGS



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive