Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Câncer de pele atinge 180 mil brasileiros por ano; previna-se

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 16/12/2019 - Data de atualização: 16/12/2019


(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)

O câncer de pele, o mais comum no Brasil, é algo que pouca gente dá importância, apesar dos aproximadamente 180 mil novos casos que todo ano são diagnosticados, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Por isso, em dezembro, mês de conscientização do câncer da pele, a campanha da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) tem como foco a orientação para os sinais do problema, que cresceu em importância por causa da possibilidade de o presidente Jair Bolsonaro ter a doença. Esta semana, ele retirou um sinal da orelha esquerda, e admitiu a possibilidade de ser câncer de pele. O tecido ainda passará por biópsia para investigação.

Elimar Gomes, coordenador do Dezembro Laranja, título da campanha da SBD, acredita que a grande incidência da doença no Brasil é reflexo das mudanças de hábito da sociedade. “Lá atrás, em 1920, as pessoas tomavam pouco sol, iam para a praia de roupa e se protegiam mais. Com o passar do tempo, entrou na moda o bronzeado, e a população começou a se expor mais”, explicou. Desde 2014, a SBD promove o Dezembro Laranja.

Para o dermatologista, o possível câncer de pele de Bolsonaro trouxe os holofotes para a campanha. “Sempre que uma figura pública mostra que tem a doença, ou tem essa possibilidade, é importante porque chama a atenção da população, e mostra que qualquer em pode ter”. O médico afirma que o presidente apresenta sinais de que é uma pessoa que pode ter câncer de pele, pois “tem uma pele clara e cronicamente exposta ao sol”.

Diferente de outros cânceres, que precisam de exames mais complexos para serem identificados, o de pele pode ser notado por qualquer pessoa com conhecimento. “É a melhor forma de prevenção. Se você conhece a doença, e sabe o que causa, pode fazer a prevenção primária e tomar ações para evitar a doença, como passar protetor solar. E também pode identificar precocemente um sinal de câncer”, explicou. Segundo a SBD, quando descoberta no início, as chances de cura são de mais de 90%.

Saber observar
Elimar ressalta que é preciso prestar atenção a manchas na pele que coçam, ardem, sangram, além de feridas que não cicatrizam em quatro semanas, e pintas que mudam de cor e formato. Além disso, consultar um dermatologista em caso de suspeita é essencial.

Foi observando a si mesmo que o servidor público Marcelo Carlos de Mello e Souza, 59 anos, percebeu um sinal no ombro, que posteriormente foi identificado como um carcinoma basocelular, o tipo mais comum de câncer de pele.

“Sou carioca e peguei muito sol na praia. Até meus 17 anos, morei no Rio de Janeiro e a praia e o sol eram parte da minha rotina”, relembra. Os efeitos da luz solar sem proteção vieram anos depois. A exposição crônica da pele é um das principais causadores da doença. Desde 2010, outros pontos foram identificados e, conforme diz, o corpo tem mais de 200 pontos de extração de sinais de câncer. Mas nenhum deles é melanoma.

Atualmente, a rotina de Marcelo é diferente. “Hoje, eu caminho cedo para evitar o sol, uso camisas de manga comprida com proteção solar e protetor no rosto e no corpo. Para quem gosta de mar e de praia, é uma dura penitência”, brinca. Para ele, o Dezembro Laranja é fundamental para ensinar a população a identificar o problema ainda no início.

Fonte: Correio Braziliense

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive