Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Câncer de mama é o mais incidente na população mundial, mostra levantamento

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 12/03/2021 - Data de atualização: 12/03/2021


Um recente levantamento divulgado pelo Global Cancer Observatory (GCO) revela que, no último ano, o câncer de mama foi responsável por 11,7% dos novos casos de câncer no mundo, com 2,26 milhões de casos registrados. Esses números fizeram com que ele se tornasse a doença oncológica mais diagnosticada em 2020, superando o câncer de pulmão, que teve 2,2 milhões de novos casos. Essa estatística exclui o câncer de pele não-melanoma, que rarissimamente é letal.

"Vale lembrar que o câncer de pulmão acomete tanto homens quanto mulheres, diferentemente do de mama, em que 99% dos casos ocorrem em mulheres", aponta o oncologista Rafael Kaliks, do Hospital Israelita Albert Einstein. Levando em conta apenas pessoas do sexo feminino, o câncer de mama representou 24,5% dos novos casos em 2020. O médico explica que existe uma tendência mundial para o aumento da incidência do câncer de mama, ao mesmo tempo em que há uma redução — ainda que aos poucos — nos casos de câncer pulmonar, principalmente por conta da diminuição progressiva do tabagismo pelo mundo.

Kaliks acrescenta que a ampliação da mamografia de rastreamento, exame que detecta o câncer de mama potencialmente em fase mais precoce, também contribui para que mais casos sejam diagnosticados. Ao mesmo tempo em que aumenta o número de casos diagnosticados, o exame amplia a possibilidade de cura ao diagnosticar tumores em fases iniciais. Outro fator que contribui para o aumento de casos é a maior incidência da obesidade e do sedentarismo, dois fatores de risco para o desenvolvimento da doença.

Por outro lado, ainda que a incidência do câncer de mama seja maior, a taxa de mortalidade é pequena comparada à do câncer de pulmão, principalmente quando há o diagnóstico precoce. "O câncer de mama tem uma vantagem: ele pode ser detectado precocemente, e quando isso ocorre, temos uma chance imensa de curar os casos diagnosticados", diz Kaliks.

A mamografia é o principal recurso para diagnóstico da doença ainda na sua fase inicial, com a capacidade de identificar nódulos não palpáveis, inferiores a 1 centímetro. De acordo com a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), a recomendação geral é que as mulheres façam uma mamografia basal entre os 35 e 40 anos e, após os 40, passem a realizar a mamografia anualmente.

Os impactos da pandemia no diagnóstico

Um levantamento da Fundação do Câncer, com base em dados do Sistema Único de Saúde (SUS), revela que a pandemia levou a uma redução de 84% no número de mamografias. Seja pelo medo de contaminação pelo novo coronavírus ou em razão do fechamento temporário de serviços de oncologia, muitas mulheres adiaram suas consultas de rotina. O problema resultou em muitos diagnósticos tardios, quando a doença se encontrava já na fase em que os nódulos podiam ser identificados durante a palpação.

Nos casos de detecção tardia, a mulher pode sentir um nódulo, retração da pele na mama, inversão do mamilo, mudanças de volume, alterações na pele — como vermelhidão e aparência de "casca de laranja" —, ou saída de secreções pelo mamilo. "Tudo isso deve acender uma luzinha amarela e a mulher deve procurar imediatamente o seu ginecologista para investigar", explica Kaliks.

O médico afirma que as medidas de isolamento social são, de fato, fundamentais para conter a propagação do vírus. Porém, as mulheres não podem deixar de se submeter aos exames diagnósticos e de continuar seus tratamentos.

Fonte: Viva Bem.

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive