Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Câncer de colo do útero pode ser evitado com exames preventivos e vacinação

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 29/01/2021 - Data de atualização: 29/01/2021


O mês de janeiro, o Janeiro Verde, reforça a importância da prevenção do câncer de colo de útero. Ele é o terceiro mais frequente entre as brasileiras, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), atrás apenas do câncer de mama e colorretal, além de ser a quarta causa de morte entre as mulheres por câncer no Brasil. O aparecimento dessa neoplasia está relacionado a vários fatores de risco, sendo o principal a infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV), vírus transmitido principalmente pela atividade sexual. Entre os outros fatores estão: o início precoce de atividade sexual, multiplicidade de parceiros, história familiar de neoplasia, tabagismo, higiene inadequada e imunidade comprometida.

De acordo com o Dr. Ricardo Chazan Breitbarg, Oncoginecologista do hospital Samaritano Higienópolis, apesar do alto percentual de infecção por HPV entre as mulheres, a grande maioria se cura espontaneamente e somente um pequeno número apresentará as chamadas lesões precursoras (neoplasia intraepiteliai cervical-NIC) que podem ser de baixo ou alto grau. E essas lesões, se não tratadas, podem evoluir para as neoplasias invasoras.

"Salientamos a importância da prevenção e detecção precoce do câncer do colo do útero, que pode ser totalmente detectado com a realização regular do exame de Papanicolaou e com a vacinação contra o HPV", enfatiza o Dr. Ricardo Chazan Breitbarg. A recomendação é de que mulheres entre 25 e 64 anos realizem o exame preventivo do câncer do colo do útero a cada 3 anos. As alterações celulares do colo são facilmente detectáveis e são curáveis na grande maioria dos casos.

A vacinação contra o HPV para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos, que na teoria ainda não iniciaram sua vida sexual, está disponível tanto em clínicas privadas como no Sistema Único de Saúde (SUS). O exame de Papanicolaou e a vacinação se complementam como ações de prevenção.

"Vários estudos mostram que a vacina é a melhor forma de prevenção. Ela é segura e eficaz. Quanto mais cedo ocorrer a vacinação, maior a chance de se evitar o aparecimento do tumor. Essa diminuição do risco chega a ser de 90% quando as crianças são vacinadas. O benefício da vacina também atinge outros cânceres relacionados ao HPV, como os tumores da vulva, canal anal, garganta e pênis", afirma o Dr. Ricardo Chazan Breitbarg.

Fonte: Terra

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive