Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Autoexame dos testículos ajuda homem no diagnóstico precoce de câncer

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 16/01/2020 - Data de atualização: 16/01/2020


Os riscos da doença são maiores em pacientes com histórico familiar | Foto: Divulgação

As mulheres já conhecem de longa data a importância do autoexame das mamas para o diagnóstico precoce de câncer. A mesma orientação deve ser seguida pelos homens com relação aos testículos.

“É essencial que, desde a adolescência, os homens apalpem mensalmente os testículos para descobrir qualquer alteração”, orienta Ramon Andrade de Mello, médico oncologista, professor da disciplina de oncologia clínica da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e da Escola de Medicina da Universidade do Algarve (Portugal).

Apesar da incidência de tumor nos testículos responder por apenas 5% do total de casos de câncer no público masculino, ele preocupa por atingir uma população em idade de 15 a 50 anos.

“A pessoa deve procurar orientação médica sempre que notar alterações como um nódulo, rigidez, dor, desconforto ou aumento do saco escrotal”, explica o professor da Unifesp.

Os riscos da doença são maiores em pacientes com histórico familiar, que passaram por lesões e traumas na bolsa escrotal e trabalhadores expostos a agrotóxicos. Os homens com criptorquidia, que é a permanência do testículo fora da bolsa escrotal depois do nascimento, também têm chances de desenvolver o tumor.

“Nas últimas décadas, temos visto ainda o aumento dos casos de câncer no escroto por homens que, em algum momento, fizeram uso indiscriminado de anabolizantes”, alerta o médico oncologista.

Ramon esclarece que o diagnóstico precoce alcança quase 100% de cura entre os pacientes. Para alguns casos, pode ser indicada a cirurgia, com a retirada do testículo afetado. Para outros, é possível fazer o tratamento com quimioterapia, afirma o oncologista.

Fonte: Em Tempo

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive