Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Atriz que fez campanha de prevenção ao câncer descobre tumor e luta ao lado da irmã, também diagnosticada com a doença

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 18/04/2018 - Data de atualização: 18/04/2018


A atriz e produtora de vídeos Marília Furtado Silva, de 35 anos, participou de uma campanha na televisão de conscientização e prevenção contra a doença e, meses depois, descobriu um tumor no útero. Ela já era parceira da luta da irmã mais velha, diagnosticada com câncer de mama, mas ambas ficaram ainda mais próximas depois do diagnóstico da caçula. Ela relata que desde quando participou do vídeo sentia fortes cólicas, mas não imaginava que pudesse ter câncer.

"Eu pensava que fosse alguma coisa de mulher mesmo. Um mioma no útero, um cisto. Sabia que tinha algo errado com meu meu corpo sim, mas não fazia ideia de que poderia se câncer", afirmou.

Marília relata ainda que sempre negligenciou a própria saúde por medo de descobrir alguma doença. Para aquele que seguem o mesmo caminho, ela deixa um recado:

"O que ficou para mim é: nunca descuide da saúde. Seja homem, mulher ou criança. Porque a gente fica deixando para depois. Eu tinha medo de ir ao medico e descobrir que estava doente".

"Minha frase era: se eu descobrir que estou doente eu morro, mas não é assim, é o totalmente o contrário", aconselhou.

Atualmente, a atriz e produtora faz radioterapia todos os dias e quimioterapia duas vezes na semana. Irmã dela, a Antônia Marta Furtado Silva, de 48 anos, vive em Jataí, no sudoeste de Goiás, e vai a Goiânia semanalmente para o tratamento, se preparando para fazer uma cirurgia e remover o tumor. Preocupada com a irmã caçula, ela conta que também ficou surpresa com o diagnóstico.

"Para mim foi mais doloroso do que quando eu descobri que eu estava com câncer. Eu senti muito mais quando soube dela do que de mim", recordou.

Apesar de ter precisado deixar o trabalho para se envolver no tratamento, Marília tem vivido com ajuda de parentes e amigos. Ela também conta com a companhia de dois cachorros, que são uma forma de terapia.

Fonte: G1 Goiás

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive