Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

ANS fixa prazo de 21 dias para autorização de cirurgias eletivas

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 13/04/2020 - Data de atualização: 13/04/2020


A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) fez duas definições importantes para os usurários dos planos de saúde. A primeira é que as cirurgias eletivas com caráter de urgência durante a pandemia do novo coronavírus devem ser realizadas em até 21 dias a partir da data da consulta.

Os médicos devem justificar a necessidade dos procedimentos aos planos de saúde, enfatizando os riscos e prejuízos que a não realização causará à saúde do paciente. Atendimentos nos quais a não realização ou interrupção coloquem em risco o paciente, como os relacionados a pré-natal, parto e puerpério, doentes crônicos, tratamentos continuados, revisões pós-operatórias, diagnóstico e terapias em oncologia e psiquiatria devem ser continuados, avisa a agência.

Já as consultas, exames, terapias e cirurgias que não sejam urgentes ficarão suspensas até 31 de maio excepcionalmente, em função da pandemia. Anteriormente, não havia uma data limite para a suspensão.

No geral, a orientação da agência de reduzir o número de atendimentos segue as recomendações do Ministério da Saúde para que sejam liberados leitos hospitalares para pacientes infectados pelo novo coronavírus. A precaução também existe para que pessoas saudáveis fiquem temporariamente afastadas das unidades de saúde para não correrem o risco de serem contaminadas pelo vírus.

A Federação Brasileira de Hospitais (FBH) protocolou um pedido para que a decisão de reduzir as consultas até 31 de maio fosse revogada pela agência com o intuito de minimizar os prejuízos financeiros que serão suportados pelos hospitais. De acordo com a FBH, a medida afetaria os hospitais de pequeno e médio portes, localizados em cidades com baixa população e nas periferias dos grandes centros.

Fonte: Metrópoles

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive