Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

A

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 12/06/2013 - Data de atualização: 16/02/2021


Glossário de termos utilizados neste portal:

 

Abdome. O abdome contém a maioria dos órgãos do trato digestivo, assim como outros órgãos sólidos. Os órgãos abdominais incluem estômago, intestino delgado e intestino grosso, fígado, vesícula biliar, pâncreas, baço, rins e glândulas suprarrenais, junto com importantes vasos sanguíneos como a aorta e a veia cava inferior.

Ablação. Retirada de uma parte do corpo ou tecido, seja por excisão ou por amputação, devido a um tumor.

Ablação androgênica. Tratamento para suprimir ou bloquear a produção ou ação dos hormônios masculinos. É realizada após a retirada dos testículos (castração), com administração de hormônios sexuais femininos ou de medicamentos antiandrogênicos.

Ablação da medula óssea. Destruição da medula óssea utilizando radioterapia ou medicamentos.

Ablação por radiofrequência. Uso de eletrodos para aquecer e destruir o tecido anormal.

Abscesso. São nódulos com acúmulo de pus. Podem ser formados em tecidos, órgãos ou espaços confinados do corpo, como consequência de um processo inflamatório e infeccioso.

Acesso expandido. É um programa de disponibilização de medicamento novo sem registro na Anvisa ou não disponível comercialmente no país, que esteja em estudo clínico em fase III, em desenvolvimento ou concluído para pacientes que não responderam aos tratamentos disponíveis ou não são elegíveis para participarem de protocolos de Pesquisa Clínica.

Acompanhamento. Monitoramento da saúde do paciente ao longo do tempo durante e após o tratamento. Isto inclui os pacientes que participam de um estudo clínico.

Aconselhamento genético. Processo de comunicação entre profissionais de saúde especialmente treinados e um paciente ou pessoa preocupada com o risco genético de determinada doença. O histórico familiar e pessoal podem ser discutidos e, se necessário, testes genéticos podem ser realizados.

Acromegalia. Condição provocada por uma disfunção da glândula pituitária, que se caracteriza pelo crescimento anormal das extremidades do corpo. Isso faz com que os ossos das mãos, pés, cabeça e rosto cresçam mais do que o normal. A acromegalia pode ser causada por um tumor na glândula pituitária.

Adenocarcinoma. Câncer que se inicia nas células que revestem determinados órgãos internos e que têm propriedades secretativas.

Adenoma brônquico. Tumor que se forma nos tecidos da traqueia e brônquios e que pode provocar obstrução da via aérea.

Adenoma. Tumor, geralmente benigno, resultante da proliferação dos próprios elementos de uma glândula, como células do tecido epitelial.

Advogado sanitarista. Advogado que orienta o paciente sobre seus direitos relacionados com a saúde. Esse advogado ajuda a resolver problemas como cuidados de saúde, contas médicas e problemas trabalhistas.

Aférese. Procedimento que consiste na retirada do sangue do corpo para separar as plaquetas e os glóbulos brancos.

Agente biológico. Substância produzida a partir de um organismo vivo ou de seus produtos e usada na prevenção, diagnóstico ou tratamento do câncer e de outras doenças. Os agentes biológicos incluem anticorpos, interleucinas e vacinas.

Agente quelante. Composto químico que se liga firmemente a íons metálicos. Agentes quelantes são utilizados para remover metais tóxicos do corpo.

Aguda. Sintomas ou sinais que apresentam evolução rápida.

Agulha de biópsia. Instrumento que permite a remoção de tecido ou líquido para exame sob um microscópio.

Aleatória. Escolher ao acaso qualquer um dos braços de um estudo para alocar um paciente.

Alocação. Inclusão oficial de um paciente em um estudo clínico.

Ambulatorial. Atendimento para diagnóstico ou tratamento sem regime de internação.

Anemia. Condição na qual o número de glóbulos vermelhos se encontra abaixo do normal.

Anestesia. Procedimento que usa medicamentos ou substâncias que causam a perda de sensibilidade ou consciência.

Antibiótico. Medicamento utilizado no tratamento de infecções causadas por bactérias e outros microrganismos.

Anticarcinogênico. Previne ou retarda o desenvolvimento do câncer.

Anticorpo monoclonal. Um tipo de proteína produzida em laboratório que pode localizar e ligar-se às substâncias no corpo, incluindo às células tumorais. Existem muitos tipos de anticorpos monoclonais, cada um é produzido para encontrar uma determinada substância. Eles podem ser usados de forma isolada ou para transportar fármacos, toxinas ou materiais radioativos até o tumor.

Anticorpo. Proteína produzida por células plasmáticas em resposta a um antígeno. Cada anticorpo pode ligar-se a apenas um antígeno específico. O objetivo desta ligação é ajudar a destruir o antígeno. Os anticorpos podem funcionar de várias maneiras, dependendo da natureza do antígeno.

Antidepressivo. Medicamento utilizado para o tratamento de depressão.

Antiemético. Medicamento que previne ou reduz náuseas e vômitos.

Antiestrogênico. Substância que impede a produção ou uso do estrogênio. Os antiestrogênicos podem interromper o crescimento de algumas células cancerígenas e são utilizados para prevenir e tratar o câncer de mama. O antiestrogênio é um tipo de antagonista hormonal.

Antígeno específico prostático. Enzima (glicoproteína) com algumas características de marcador tumoral, sendo utilizada para diagnóstico, monitoramento e controle da evolução do câncer de próstata. Conhecido como PSA.

ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Autoridade regulamentar brasileira encarregada, entre outras responsabilidades, de conceder aprovações para novos medicamentos.

Aspiração da medula óssea. Remoção de uma pequena amostra de medula óssea com uso de uma agulha para posterior análise.

Assintomático. Paciente que não apresenta sintomas.

Astenospermia. É quando a porcentagem de espermatozoides móveis totais (progressivos e não progressivos) é inferior a 40% do total de espermatozoides; e/ou a porcentagem de espermatozoides progressivos é inferior a 32%.

Astrocitoma. Tumor que começa no cérebro ou na medula espinhal. É o tipo mais comum de glioma que se desenvolve a partir de células denominadas astrócitos. Os astrocitomas podem ser de crescimento lento ou rápido.

Autoexame. Exame realizado pelo próprio indivíduo para verificar a presença de alterações na pele, mama, testículo.

Azoospermia. Ausência de espermatozoides.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive