Profissionais

Colunistas


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Astellas UICC Libbs GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

A Estomaterapia e o cuidado da pessoa com estomias, feridas e incontinências

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 07/06/2016 - Data de atualização: 07/06/2016


A Estomaterapia, especialidade exclusiva do Enfermeiro, chegou ao Brasil há 26 anos, para promover a excelência do cuidado de pessoas com estomias, feridas e incontinências. Agora, neste portal, abre-se um novo canal de comunicação com o paciente oncológico, que pode necessitar, em alguma etapa do seu tratamento, de atendimento do enfermeiro estomaterapeuta. Nesse espaço, vamos dar dicas, orientações e indicações a pacientes, familiares e cuidadores, nas três áreas contempladas por nosso trabalho.

Nesta nossa primeira coluna, gostaria de falar sobre as estomias, que são comunicações de um órgão para o meio externo. Diversas situações podem levar à necessidade do procedimento cirúrgico, como o câncer, doenças inflamatórias, traumas, entre outras. Exemplos são a traqueostomia, realizada na traqueia para permitir a passagem de ar; a gastrostomia, realizada no estômago para permitir a chegada de alimentos por um tubo; a estomia intestinal ou urinária, construção de um novo caminho para a saída das fezes ou da urina. Com essa intervenção cirúrgica a o paciente necessitará usar um equipamento coletor, conhecido como bolsa de coleta, por um período ou definitivamente.

Desde 2004, a estomia é considerada uma deficiência física, porém isso não impede a pessoa de trabalhar, viajar, ir à praia, dançar ou praticar certos tipos de exercícios físicos. Essa condição garante alguns direitos aos pacientes, como acesso preferencial em filas e isenção de certos impostos, bem como a criação do símbolo nacional da pessoa com estomia, que tem como um dos principais objetivos identificar os banheiros adaptados.
 
Algumas demandas, no entanto, ainda precisam ser atendidas. Os pacientes ainda necessitam de acesso a alguns equipamentos que não foram contemplados pelo Ministério da Saúde, na portaria 400, além da garantia do fornecimento de número de bolsas coletoras suficientes para um período determinado. Como entidade de especialistas, a Associação Brasileira de Estomaterapia: Estomias, Feridas e Incontinências - Sobest realiza trabalhos importantes de luta e conscientização, especialmente para garantir a orientação de alta da pessoa com estomia.

O SUS e os planos de saúde são obrigados a fornecer gratuitamente as bolsas coletoras e outros materiais como a pasta ou pó para proteção da pele, mas ainda há outras necessidades básicas que não são contempladas, prejudicando a qualidade de vida do paciente.

A partir de agora teremos um encontro semanal aqui no portal Oncoguia, para discutir estes e outros temas ligados a estomias, feridas e incontinências. Esperamos poder colaborar na qualidade de vida do paciente e família, e contribuir para a melhoria na assistência.

Profa. Dra. Maria Angela Boccara de Paula
Presidente da Associação Brasileira de Estomaterapia

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive