Por um plano para minimização dos efeitos da pandemia na atenção oncológica

Ver conteúdo relacionado
  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 27/11/2020 - Data de atualização: 31/05/2020

A pandemia afetou profundamente as políticas de atenção oncológica. No início, o medo tomou conta. Exames, tratamentos e consultas pré-agendados foram suspensos ou cancelados, tanto a pedido do paciente como por medida de segurança adotada pelas instituições de saúde. Houve muito represamento. Aos poucos, o medo foi dando lugar à ansiedade e à angústia de não saber o tempo que se levaria para o fluxo de atendimento voltar ao normal.

A cada ano no Brasil, cerca de 700 mil pessoas recebem o diagnóstico de câncer e 225 mil morrem. Em situações normais, o país já possui uma das mais altas taxas de diagnósticos tardios de câncer no mundo: 56% do total, podendo chegar a 80% no caso de câncer de pulmão. Entre abril e maio de 2020, há registros de queda de até 75% do número de mamografias, e mais de 50% em biópsias e cirurgias.

Isso é um alerta de que não é mais possível esperar para colocar as ações de prevenção e controle do câncer no topo da agenda política, ainda que em paralelo às medidas de combate à pandemia, sob pena de colapso da atenção oncológica. Uma epidemia de casos avançados de câncer já vem sendo anunciada pelas sociedades e pelos estudos científicos paralelamente à iminente chegada de uma segunda onda da Covid-19.

Apesar de tudo isso, e considerando a existência de vasta literatura mostrando que o prognóstico de uma infecção por Covid-19 não parece ser significativamente pior em pacientes em tratamento de câncer, mas sim estar relacionado aos fatores de risco tradicionais como idade, obesidade e doença pulmonar preexistente, podemos dizer que sim, já sabemos o que fazer, já conhecemos os caminhos e receitas e sim, podemos evitar e ou minimizar riscos e muitos dos problemas conhecidos e esperados. Não podemos deixar que eles aconteçam. Precisamos priorizar o controle e o cuidado do câncer, apesar da Covid-19.

Hoje, dia 27 de novembro de 2020, Dia Nacional de Combate ao Câncer, a fim de dar início a uma discussão transparente, colaborativa e sistematizada sobre as melhores medidas institucionais e regulatórias a serem implantadas para garantir a realização segura e eficiente dos atendimentos relacionados ao diagnóstico e tratamento do câncer, o Instituto Oncoguia conclama os órgãos sanitários para que se estabeleça imediatamente um Plano para Minimização dos Efeitos da Pandemia na Atenção Oncológica. Nesse sentido, apresentamos algumas propostas para enfrentar os principais problemas identificados na rede de atenção à saúde.

Conheça os problemas detectados e as soluções sugeridas pelo Instituto Oncoguia:

Posicionamento 1 publicado em 27/11/2020 - download 

Posicionamento 2 (atualizado) publicado em 31/05/2021 - download






Folhetos Diferentes materiais educativos para download

A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Ver versão completa do site. Desenvolvido por Lookmysite Interactive