Tipos de Câncer

Linfoma Não Hodgkin

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Como Prevenir o Linfoma Não Hodgkin

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 20/06/2015 - Data de atualização: 11/10/2018


A maioria das pessoas com linfoma não Hodgkin não tem fatores de risco que podem ser alterados, por isso não há maneira de se proteger contra esses linfomas. Por enquanto, a melhor maneira de reduzir o risco de linfoma não Hodgkin é tentar limitar o risco de determinadas infecções e tentar manter um sistema imunológico saudável.

A infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV), aumenta o risco de linfoma não Hodgkin, portanto, uma forma de limitar seu risco é evitar fatores de risco conhecidos para o HIV, como o uso de medicamentos intravenosos ou relações sexuais desprotegidas com muitos parceiros.

A prevenção da disseminação do vírus linfotrópico de células T humanas (HTLV-1) pode ter um grande impacto sobre o linfoma não Hodgkin em regiões do mundo onde o vírus é comum. As mesmas estratégias usadas para prevenir a propagação do HIV podem também ajudar a controlar a infecção pelo HTLV-1.

A infecção por Helicobacter pylori tem sido associada a alguns linfomas de estômago. O tratamento de infecções do H.pylori com antibióticos e antiácidos podem diminuir este risco, mas o benefício dessa estratégia não é comprovado. A maioria das pessoas com infecção por H. pylori não têm sintomas, e algumas só têm leve azia.

Alguns linfomas são causados pelo tratamento de outros tipos de cânceres com radioterapia e quimioterapia, ou pelo uso de drogas imunossupressoras para evitar a rejeição de órgãos transplantados. Estão em andamento, estudos visando melhores formas para tratar pacientes com câncer e transplantados, sem aumentar o risco de linfoma. Mas, até o momento, os benefícios desses tratamentos superam o pequeno risco de desenvolver linfoma a longo prazo.

Alguns estudos sugerem que o excesso de peso ou obesidade possam aumentar o risco de linfoma não Hodgkin. Outros estudos sugerem que uma dieta rica em gordura e carnes pode aumentar o risco. Manter um peso saudável e ter uma dieta saudável pode ajudar a proteger contra o linfoma, mas, ainda, são necessárias mais pesquisas para confirmar isso.

Fonte: American Cancer Society (01/08/2018)



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive