Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Com métodos mais modernos, diagnóstico de metástase não significa sentença de morte

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 26/04/2021 - Data de atualização: 26/04/2021


Ter um diagnóstico de metástase não é mais sinônimo de receber uma sentença de morte. Na última década, de acordo com especialistas, houve uma verdadeira revolução no tratamento de câncer em geral. A inovação começa desde um diagnóstico mais eficiente, que mostra exatamente o tipo de tumor foi encontrado, até a remédios que combatem especificamente a célula cancerígena, diminuindo os efeitos colaterais do tratamento.

Segundo Mônica Stiepcich, patologista com doutorado em Oncologia e é Assessora Médica em Anatomia Patológica no Grupo Fleury, houve uma grande evolução nos exames de imagem, o que possibilita uma melhor identificação das características biológicas do câncer, assim como o desenvolvimento de painéis de expressão gênica e de mutações genéticas.

— Cada vez a gente consegue fazer uma análise mais detalhada e profunda, e, usando a inteligência artificial e a bioinformática, correlacionar todas essas características novas dos tumores, com as características clínicas dos pacientes e com as respostas às novas drogas que estão sendo inventadas. Tudo está se desenvolvendo junto — explica.

Na avaliação do oncologista Carlos Gil, diretor científico do Grupo Oncoclínicas do Brasil, o grande avanço deste novo momento é o maior conhecimento que se tem sobre “a biologia da célula do câncer, o que se tem por trás dela, os mecanismos que levam a sua geração e manutenção e, por exemplo, a geração de metástases”.

— Esses novos conhecimentos é que têm levado a ganhos em termos de controle de doença e de expectativa de vida. Podemos dizer sim que, para alguns tipos de câncer, a existência de metástase não é necessariamente uma sentença de morte. Ainda há casos que podem ser considerados curáveis — afirma.

Imunoterapia reforça defesa do paciente
A metástase é a disseminação de células tumorais malignas que se desprendem do tumor inicial e se instalam em órgãos distantes de onde o câncer surgiu pela primeira vez. Essa “migração” ocorre pela corrente sanguínea ou pelo sistema linfático.

A imunoterapia é um dos tratamentos mais novos no combate ao câncer, e já está sendo utilizado no Brasil em alguns casos. A célula cancerígena possui mecanismos que bloqueiam a atuação das células do nosso sistema imunológico. Este novo tipo de terapia quebra este bloqueio, liberando o sistema imunológico para fazer seu serviço de proteção.

— Além da imunoterapia, temos alguns tratamentos oncológicos mais específicos, melhores procedimentos cirúrgicos e uma radioterapia que evoluiu, com aparelhos mais modernos e técnicas melhores. Em todos os campos tivemos evolução, o que sem dúvida está trazendo para os pacientes, não só uma expectativa melhor, como a transformação o câncer em uma doença mais crônica — finaliza Alexandre Palladino, chefe da Oncologia Clínica do Inca.

Fonte: Extra

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive