Startup cria aplicativo que possibilita monitorar pacientes com câncer

Ver conteúdo relacionado
  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 10/08/2021 - Data de atualização: 10/08/2021

A startup WeCancer criou um aplicativo que busca evitar hospitalizações desnecessárias e reduzir custos de tratamento do câncer. O aplicativo, originalmente lançado em 2017, recebeu novas funções que aprimora o  mapeamento  da doença e o auxílio aos pacientes. A atualização foi possível graças à aprovação pelo programa Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), por meio da Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE).

Segundo César Filho, cofundador e CEO da startup, esse monitoramento é feito a partir de dados inseridos pelos pacientes. “Nossos produtos tecnológicos incluem o aplicativo, que é acessado gratuitamente pelos pacientes, e um dashboard por meio do qual os profissionais os acompanham. Além disso, a plataforma oferece uma área de gerenciamento de sintomas, outra de organização das jornadas de tratamento, além de uma de conteúdo informativo e um chat, por meio do qual o paciente consegue interagir diretamente com a equipe de enfermagem”, explicou. 

Essa versão do aplicativo apresentará os dados pessoais, medicamentos em uso e atividades cotidianas dos pacientes. Os indicadores de saúde física e psicoemocional são transformados em gráficos que podem ser acessados pelos médicos, permitindo acompanhar o quadro clínico e a evolução do paciente durante o tratamento. 

A WeCancer possui a própria equipe de coordenação de cuidado e navegação de pacientes, dirigida pelo oncologista Tiago Jorge, diretor-médico da empresa, que coordena uma equipe com psicólogo, enfermeiro, nutricionista, farmacêutico e pesquisadora clínica. “Existe um custo para manter essa equipe própria, mas hoje, em função da concepção dos produtos e da tecnologia, conseguimos automatizar algumas partes do processo, a fim de ganhar eficiência e escala. Hoje, temos capacidade instalada para atender 1.600 pacientes por mês”, comentou Lorenzo Cartolano, também cofundador e CFO da startup.

Esse modelo de atendimento é um dos recursos utilizados para melhorar a qualidade de vida de cada paciente em tratamento da doença. "Entendemos que não adiantaria ter apenas o software, porque muitas vezes o paciente tem uma náusea, por exemplo, e precisa de cuidado e orientação imediata”, concluiu César Filho.

Primeira versão

A primeira versão do aplicativo foi lançada em 2017, e por ter uma extensa eficiência em aproximar as equipes médicas das pessoas em tratamento oncológico, a plataforma já conta com a adesão de diversos hospitais, como o Israelita Albert Einstein, Beneficência Portuguesa, Municipal Vila Santa Catarina e o Instituto de Oncologia do Paraná. Até então, o software possui mais de 2,5 mil usuários e realiza, em média, 800 atendimentos por mês. 

Fonte: Revide






Folhetos Diferentes materiais educativos para download

A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Ver versão completa do site. Desenvolvido por Lookmysite Interactive