Oncoguia: Câncer Colorretal - 6 coisas que você precisa saber

Ver conteúdo relacionado
  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 21/09/2021 - Data de atualização: 21/09/2021

O ator Luis Gustavo Blanco morreu neste domingo (19), aos 87 anos, em Itatiba (SP). Ele sofreu complicações por conta de um câncer no intestino. De acordo com informações da família, Luis Gustavo estava em tratamento contra a doença desde 2018. O câncer do intestino grosso, também chamado câncer de cólon e reto, ou câncer colorretal, é uma doença que atinge indistintamente homens e mulheres.

Se o câncer se formar a partir de um pólipo, pode se desenvolver na parede do cólon ou do reto ao longo do tempo. A parede do cólon e do reto é composta de várias camadas. O câncer colorretal começa na camada mais interna (mucosa) e pode crescer através de uma ou todas as camadas.

Quando as células cancerígenas estão na parede do cólon ou do reto, podem crescer nos vasos sanguíneos ou vasos linfáticos. A partir daí, elas podem ir para os linfonodos próximos ou outros órgãos.

Na maioria das vezes, o câncer colorretal se desenvolve gradativamente por uma alteração nas células que começam a crescer de forma desordenada sem apresentar qualquer sintoma. Por esse motivo, a detecção precoce é fundamental.

Quanto mais cedo é diagnosticado, maiores as chances de cura da doença. O Oncoguia ressalta 6 coisas sobre a doença:

1. É o segundo tipo de câncer mais frequente em homens e mulheres. 

20.520 homens e 20.470 mulheres. (estatísticas do Inca para casos diagnosticados por ano no Brasil)

2. Sim, você precisa prestar atenção nas suas fezes.

Sem tabu e sem frescura: é muito importante que você observe as suas fezes. Preste atenção também no seu hábito intestinal (mudou? Está muito variado?)

Ou seja, o seu cocô ficou diferente e permanece assim? Converse com o seu médico! 

3. A colonoscopia é o exame que previne o câncer colorretal 

O procedimento dura de 15 a 30 minutos e o paciente é sedado para evitar qualquer desconforto.

Se você tem mais de 50 anos ou se tem mais de 40 com casos da doença na família, converse com seu médico e faça exames de rotina. 

4. Nem todo paciente com câncer colorretal usa bolsa de colostomia. E nem toda bolsa de colostomia é definitiva.

Atualmente, com o avanço das técnicas cirúrgicas e das opções de tratamento, as colostomias não são uma opção frequente e quando necessárias, são muitas vezes temporárias.

5. Ter um pólipo não significa ter câncer colorretal.

Os pólipos podem ser benignos ou pré-cancerígenos, mas em alguns casos, se não forem retirados, podem se tornar malignos (câncer). 

Os pólipos são retirados durante a colonoscopia.

6. Ficar longe de salsichas, salames, linguiça e outros, é fundamental na prevenção do câncer colorretal.

Cuidar da sua alimentação é cuidar da sua saúde. 

Sobre o Oncoguia

O Oncoguia é uma ONG que apoia, informa e defende os direitos dos pacientes com câncer, com o propósito de fortalecer, encorajar e guiar todas as pessoas que convivem com a doença para que passem por esse desafio da melhor forma possível. 

Atendimento Oncoguia (nacional e gratuito): 0800 773 1666.
Saiba mais: www.oncoguia.org.br

Informações para imprensa
Deborah Rezende
deborah@dehlicom.com.br 
Tel. (11) 97020.6159






Folhetos Diferentes materiais educativos para download

A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Ver versão completa do site. Desenvolvido por Lookmysite Interactive