[MATÉRIA] Desafio do diagnóstico precoce em jovens

Ver conteúdo relacionado
  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 15/09/2015 - Data de atualização: 15/09/2015

Conhecer seu corpo e prestar atenção a possíveis mudanças é a recomendação mais recorrente para os jovens
 
Para a doutora Fabiana Makdissi, mastologista, muitas controvérsias circundam a questão quando o assunto é incidência de câncer em pessoas jovens. Não existe sequer consenso sobre qual seria a faixa etária em que a mulher é considerada jovem para apresentar câncer de mama, por exemplo. "Em alguns artigos encontramos que câncer em mulheres jovens é aquele que acomete mulheres antes dos 50 anos; em outros é definido como o que ocorre antes dos 40, ou até antes dos 35 anos”, diz a doutora.  
 
Como o câncer de mama, em particular, aumenta sua incidência em mulheres a partir dos 40 anos, a mastologista afirma ser comum, na prática, que os médicos considerem como jovens mulheres diagnosticadas pela doença antes dos 40.
 
"E aí começam os problemas, pois se definimos que o aumento de risco ocorre a partir dos 40 anos e não há campanhas de rastreamento antes disso, é claro que começamos a ter dificuldades em identificar tumores pequenos nessas mulheres, pois simplesmente não os buscamos”, completa doutora Fabiana. 
 
O nódulo de Louse Ferraz, 30, quando foi detectado, já estava com 4 centímetros. "Bastava tocar a pele levemente para sentir. Quando eu me deitava, também dava para ver”, relata a paciente, que descobriu o tumor através do autoexame. 
 
Doutora Fabiana chama a atenção ainda para o fato de que, apesar de a mamografia ser o melhor exame para identificar precocemente o tumor de mamas, o que leva a mulher jovem ao consultório acaba sendo o autoexame. "Como elas não têm idade para o rastreamento, o autoexame torna-se fundamental”, afirma. Daí a importância de a mulher se tocar e se conhecer. "Desta forma, saberão identificar alterações nos seus corpos caso um nódulo apareça e virão ao médico, seja aos 20, aos 30 ou 40 anos”, completa a médica.
 
No caso de homens jovens, o tumor de testículos é um dos mais comuns e representa a maior parcela das mortes por câncer em homens da faixa etária que vai dos 15 aos 35 anos, segundo o urologista Ricardo de La Roca. "O autoconhecimento do corpo, indicado para mulheres para detectar nódulos nos seios, é recomendado também para os homens para detectar alterações por exemplo nos testículos, embora poucos o façam, já que este é um órgão muito sensível”.
 
"É preciso superar o preconceito, os homens não podem ter vergonha de procurar um médico que os examine, sobretudo aqueles que têm histórico de testículos que não desceram à bolsa escrotal (criptorquidia)”. No caso do câncer de testículo, o diagnóstico precoce pode abreviar muito o tempo do tratamento, além de aumentar as taxas de cura para próximo de 100%. 






Folhetos Diferentes materiais educativos para download

A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Ver versão completa do site. Desenvolvido por Lookmysite Interactive