[MATÉRIA] Câncer de pele pode atingir 134 mil brasileiros em 2012

Ver conteúdo relacionado
  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 15/09/2015 - Data de atualização: 15/09/2015

A incidência é maior em pessoas de pele e olhos claros, que se expõem frequente e prolongadamente ao sol. Mas, o câncer de pele, tipo mais comum em pessoas com mais de 40 anos e que, segundo o Inca, atingirá 134.170 brasileiros em 2012, pode ocorrer em qualquer pessoa que se expõe excessivamente aos raios solares em horários impróprios (entre 10h e 16h) ou que tenham histórico da doença na família.

"Se for feito um diagnóstico precoce seguido de tratamento imediato, a maioria dos cânceres de pele podem ser curados”, afirma Luciana Holtz, presidente e diretora executiva do Instituto Oncoguia, organização não-governamental dedicada à promoção do acesso ao cidadão brasileiro à informação, prevenção, diagnóstico e tratamento, a fim de acabar com o preconceito, o sofrimento e as mortes causadas pelo câncer.

O câncer de pele responde por 25% do total de tumores malignos detectados no país e seus tipos mais frequentes são carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e melanoma, este último o mais raro e também o mais maligno, por ter capacidade de se espalhar. O melanoma pode ocorrer sobre uma pinta já existente ou surgir sobre a pele normal.

"A recomendação é usar protetores solares e evitar a exposição ao sol e observar o aparecimento de feridas que não cicatrizam, de manchas escuras ou nódulos na pele, ou de alterações em pintas como aumento, modificação da cor, prurido ou sangramento”, aconselha o dr. Rafael Kaliks, diretor médico de Oncologia do Instituto Oncoguia. 

Vários são os sinais e sintomas que servem de alerta para a possibilidade de apresentar um câncer de pele. Entre eles estão:

  • Pessoas com histórico pessoal ou com familiares que já tiveram câncer de pele.
  • Pessoas de pele clara, olhos azuis ou verdes, cabelos loiros ou ruivos.
  • Pessoas com baixa imunidade ou imunidade reduzida por doença ou por medicamentos.
  • Pessoas albinas ou portadoras de algumas doenças que predispõem ao câncer de pele.
  • Pessoas que já se expuseram ou se expõem ao sol excessivamente.
  • Pessoas expostas constantemente a raios X, ultravioleta, arsênico, ou outros produtos químicos.
  • Pessoas que têm uma grande quantidade de pintas.
  • Pessoas que possuem cicatrizes há muito tempo e que apresentam ulcerações frequentes.

É importante consultar um médico sempre que uma lesão mude o seu comportamento, como, por exemplo, uma pinta ou uma mancha de nascença que comece a crescer ou a mudar de cor. 

Os principais sintomas do câncer de pele 

  • Lesão na pele em formato de nódulo, de cor rósea, avermelhada ou escura, de crescimento lento, mas progressivo.
  • Qualquer ferida que não cicatriza em quatro semanas.
  • Pinta na pele de crescimento progressivo, que apresente coceira, sangramento frequente ou mudança de coloração, de tamanho ou de consistência. 
  • Qualquer mancha de nascença com mudança de cor, espessura, ou tamanho. 

"O diagnóstico do câncer de pele pode ser feito logo no início que o tumor apareça e o paciente deve fazer uma consulta ao médico quando notar qualquer sinal”, aconselha Holtz.






Folhetos Diferentes materiais educativos para download

A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Ver versão completa do site. Desenvolvido por Lookmysite Interactive