Homens têm um risco maior de câncer por causa de ‘diferenças biológicas, diz estudo

Ver conteúdo relacionado
  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 10/08/2022 - Data de atualização: 10/08/2022

As taxas de incidência da maioria dos tipos de câncer são mais altas em homens do que em mulheres, mas a explicação para isso ainda não está clara. Estudo publicado na última segunda, na revista científica Cancer, sugere que a razão seriam as diferenças biológicas entre os gêneros, e não questões comportamentais, como tabagismo, consumo de álcool e dieta.

A pesquisa foi liderada pela cientista americana Sarah S. Jackson, do Instituto Nacional do Câncer (National Cancer Institute) dos EUA, e, por meio de dados do estudo NIH-AARP Diet and Health, coletados de 1995 a 2011, foram avaliadas as diferenças no risco de 21 tipos de câncer entre 171.274 homens e 122.826 mulheres, de 50 a 71 anos.

Segundo o site americano News Medical, durante esse período, foram detectados 17.951 novos tumores em homens e 8.742 em mulheres. Apenas para câncer de tireoide e vesícula biliar a incidência foi menor em homens do que em mulheres. Os riscos foram de 1,3 a 10,8 vezes maiores nos voluntários do nas voluntárias nos demais tumores.

As maiores taxas de incidência em homens foram observadas para câncer de esôfago (risco 10,8 vezes maior), laringe (3,5 vezes), cárdia (3,5 vezes) e câncer de bexiga (3,3 vezes).

O público masculino manteve o risco aumentado da maioria dos tumores, mesmo após os cientistas ajustarem fatores de risco comportamentais e de exposições a componentes cancerígenos. De fato, de acordo com o News Medical, as diferenças nos comportamentos de risco e exposições carcinogênicas entre os gêneros tiveram pouca influência na predominância dos tumores nos homens, variando de 11% para câncer de esôfago a 50% para o de pulmão.

Os resultados sugerem que as diferenças biológicas, como fisiológicas, imunológicas e genéticas, desempenham um papel importante na maior suscetibilidade ao câncer no público masculino.

“Incluir estrategicamente o gênero como uma variável biológica deve ser aplicada ao longo de todo o continuum do câncer, desde a previsão de risco e prevenção primária, rastreamento e prevenção secundária do câncer, até o tratamento e o gerenciamento do paciente”, afirmam os cientistas no estudo, citados pelo site americano.

Fonte: IstoÉ Dinheiro






Folhetos Diferentes materiais educativos para download

A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Ver versão completa do site. Desenvolvido por Lookmysite Interactive