Espaço do

Paciente

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Você tem um desejo legítimo de que tudo dê certo?

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 13/04/2017 - Data de atualização: 13/04/2017


Muitos de vocês não sabem, mas minha paixão é a corrida. Há muitos anos carrego os ensinamentos da corrida pra minha vida.

Hoje, especialmente, uma situação me fez pensar muito.

Tinha um treino de tiro, longo, cansativo, nada fácil. Indo para o parque onde corro, começou a chover. Estava no carro com uma amiga e cogitamos a possibilidade de desistir. Mas já estávamos a meio caminho do local do treino, optamos por seguir.

Chegamos no parque, chão molhado, garoa fina, todos os corredores a postos para começar.

Eu, durante meu tratamento, sempre comparei as sessões de quimio a uma maratona. Acho que pra minha cabeça, era mais fácil para internalizar todo aquele processo.

E hoje, durante os 10 tiros de 400m, o pensamento que me vinha à mente era: que horas esse treino realmente vai começar? Qual é a hora que vou estar esgotada, a ponto de não aguentar mais? E essa hora chegou no nono tiro. Faltando apenas um para acabar.

Confesso que hoje, a cabeça não estava muito boa. Mas uma amiga me disse: "Respira fundo 3x, vai lá e entrega esse treino, faz do jeito lindo que sabe fazer! Não vai quebrar agora.”

E sabe imediatamente a pergunta que me  veio à cabeça?

"Qual foi a coisa mais difícil que você já fez na vida? Esse último tiro é mais ou menos difícil que essa situação?”

E entreguei o último com o melhor tempo dos 10. Por que?

Porque a coisa mais difícil que já fiz na vida, foi passar pela quimioterapia.  A coisa mais difícil da minha vida, foi, ao final de 16 sessões de quimio, estar tão cansada, a ponto de não subir um andar de escadas. Isso, pra uma pessoa que tinha 10 anos de corrida nas costas poderia ser um motivo pra desistir. Olhar-se no espelho e não se ver como antes, poderia ser um motivo pra cair. Mas eu sabia que ia passar. Assim como o treino acaba e logo você se recupera, o tratamento também tem um fim.

E o mais importante: eu tinha um desejo legítimo de, nas duas ocasiões, dar o meu melhor para que tudo desse certo no final. E para mim, é daí que vem uma palavra chamada superação.

O quanto você tem esse desejo na sua vida?

Deborah Aquino



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive