Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Você não está sozinho

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 11/02/2020 - Data de atualização: 11/02/2020


Rudá de Paula Pinheiro, de 64 anos, foi diagnosticado com câncer de rim em 11 de fevereiro de 2019. Em 21 de maio, ele entrou em contato com o Oncoguia para se informar e pedir orientação sobre o agendamento da sua cirurgia que estava demorando demais.

Na ocasião, a equipe do Hospital Brigadeiro, onde ele era atendido, o informou que a unidade estava passando por reforma e por isso contava com muitos encaminhamentos atrasados. “Eu cheguei a argumentar falando da lei dos 60 dias, que já tinha conhecido com ajuda do Oncoguia, mas a funcionária me disse que a lei não funcionava muito lá no hospital e que não tinha passado 60 dias desde que eu havia passado com o médico, acontece que a lei conta desde o diagnóstico e não desde a última consulta”, conta Rudá.

Orientamos então que ele formalizasse sua reclamação por e-mail com a ouvidoria do hospital. Até 17 de junho, ele não havia recebido nenhum retorno e voltou a ligar para nosso canal Ligue Câncer. Nossa equipe, então, entrou em contato diretamente com a Ouvidoria do Hospital Brigadeiro e foi informada de que eles haviam tido um problema com os e-mails, mas que iriam dar uma atenção ao caso do paciente em questão.

Pouco depois, os funcionários do Hospital entraram em contato com o paciente, mas para informar que, infelizmente, os agendamentos das cirurgias estavam demorando de quatro a cinco meses.

Acolhimento

Por ter uma renda superior a 3 salários mínimos, Rudá não pode ser auxiliado pela Defensoria Pública e também não tinha condições de contratar um advogado particular.

“Eu não tinha muito o que fazer, mas só de poder conversar com vocês, já ajudou muito a passar por essa fase. Eu ligo sempre no canal Ligue Câncer e sempre sou muito bem atendido”, conta.

Em 6 de novembro, o paciente teve os exames pré-operatórios realizados. Na ocasião, foi realizada uma tomografia que apontou o aumento de tamanho do tumor. Ele também foi informado de que o medicamento que tomava para pressão alta estava prejudicando o câncer.

No dia 19 de novembro, 9 meses após a confirmação do diagnóstico, Rudá conseguiu, finalmente, realizar a cirurgia e retirou cerca de 20% do rim. Em dezembro, ele precisou passar por um novo procedimento para a colocação de sonda, dreno e cateter no rim, porque estava liberando muita secreção no período pós-operatório.

Agora, o paciente se sente bem e já retomou suas atividades normalmente. “Conheci o Oncoguia através da internet e me ajudou muito. A gente é leigo, fica perdido. Por mais que eu não tenha conseguido fazer a lei valer no meu caso, eu estava bem informado e me sentindo menos sozinho”, relata Rudá.

Se você tem alguma dúvida, está precisando de orientação, ou simplesmente precisa de apoio e acolhimento após o diagnóstico de um câncer, você não está sozinho! Conte com o Oncoguia, entre em contato pelo canal Ligue Câncer no telefone 0800 773 1666. A ligação é gratuita e atendemos de segunda a sexta, das 9h às 17h.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive