Tipos de Câncer

Tumores Ósseos


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Boehringer Bayer Janssen MSD Takeda Astellas UICC Libbs Abbvie Ipsen Sanofi Daiichi Sankyo GSK Avon Nestlé Servier


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Vivendo com tumores ósseos

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 12/05/2013 - Data de atualização: 08/02/2022


Para muitos pacientes com tumor ósseo, o tratamento pode remover ou eliminar o câncer, mas chegar ao fim do tratamento pode ser estressante. Ao mesmo tempo em que o paciente se sente aliviado com o término do tratamento, fica a preocupação de uma recidiva ou metástase. Esse é um sentimento muito comum para a maioria dos pacientes que teve um tumor ósseo.

Em outros pacientes, o câncer pode não desaparecer completamente. Esses pacientes continuarão realizando tratamentos regulares para tentar manter a doença sob controle.

A vida após o câncer significa voltar a realizar suas atividades e também fazer novas escolhas.

Cuidados no acompanhamento

Quando o tratamento termina, os médicos acompanharão o paciente de perto por alguns anos. Por isso, é muito importante comparecer a todas as consultas de seguimento. Nessas consultas o médico sempre examinará o paciente, verificando os possíveis efeitos colaterais e solicitará alguns exames de laboratório ou de imagem para acompanhamento e reestadiamento da doença.

Quase todo o tratamento do câncer pode ter efeitos colaterais, sendo que alguns podem durar algumas semanas, mas outros podem ser permanentes. Converse com o médico sobre quaisquer sintomas ou efeitos colaterais apresentados para que ele possa lhe orientar sobre a melhor forma de gerenciá-los.

Dados médicos

Por mais que você queira deixar a experiência para trás ao fim do tratamento, é também muito importante que você mantenha arquivados os exames médicos e outros dados.

Mantenha cópias dos seguintes documentos: laudo de patologia e de qualquer biópsia ou cirurgia; relatório de alta hospitalar; relatório do tratamento radioterápico; relatórios dos tratamentos com quimioterapia e terapia-alvo, incluindo medicamentos utilizados, doses e tempo do tratamento; e exames de imagem.

Como diminuir o risco do câncer progredir ou recidivar

Permanecer tão saudável quanto possível é mais importante do que nunca após o tratamento do tumor ósseo. Se você tem (ou teve) um tumor ósseo, provavelmente quer saber se existem coisas que você possa fazer para diminuir o risco de uma recidiva ou de ter um novo tumor ósseo.

Adotar comportamentos saudáveis, como não fumar, comer bem, ser ativo e manter um peso saudável podem ajudar, mas não se sabe com certeza se esses comportamentos por si só são suficientes. Ainda assim, essas mudanças têm efeitos positivos sobre a saúde que podem se estender além do risco do tumor ósseo ou outros tipos de câncer.

Suplementos dietéticos

Até o momento, nenhum suplemento dietético, incluindo vitaminas, minerais e produtos fitoterápicos, mostrou que pode diminuir o risco de progressão ou recidiva do tumor ósseo. Isso não significa que nenhum suplemento ajudará, mas é importante saber que nenhum deles é eficaz.

Se você está pensando em tomar qualquer tipo de suplemento nutricional, converse antes com o médico, para decidir quais você deve usar com segurança, evitando aqueles que podem ser prejudiciais.

Se o câncer voltar?

Se o tumor voltar em algum momento, suas opções de tratamento dependerão da localização da recidiva, de quais tratamentos já foram realizados e de seu estado geral de saúde.  

Risco de desenvolver um segundo câncer após o tratamento

Os pacientes que tiveram tumores ósseos podem ser afetados por uma série de problemas de saúde, mas muitas vezes a sua maior preocupação é enfrentar o câncer novamente. Se um câncer volta após o tratamento é chamado de recidiva. Mas alguns pacientes que já tiveram um tipo de câncer podem desenvolver um novo câncer, o que é denominado de segundo câncer primário.

Os pacientes que tiveram tumor ósseo têm um risco aumentado para:

  • Sarcoma de tecidos moles.
  • Câncer de pulmão.
  • Câncer de esôfago.
  • Câncer de estômago.
  • Câncer colorretal.
  • Câncer de fígado.
  • Câncer de pâncreas.
  • Leucemia mieloide aguda (LMA).

O risco de leucemia está relacionado ao tratamento quimioterápico.

Não é indicada a realização de exames de rastreamento adicionais para o diagnóstico de um segundo câncer em pacientes que tiveram tumores ósseos. Entretanto é importante manter o médico informado sobre quaisquer novo sintoma que apresentar, porque pode ser provocado por uma recidiva da doença, uma nova patologia ou um segundo câncer.

Assim como outras pessoas, os pacientes que tiveram tumores ósseos devem evitar o tabagismo, por aumentar o risco de muitos tipos de câncer.

Para ajudar a manter a boa saúde, os pacientes também devem:

  • Atingir e manter um peso saudável.
  • Adotar um estilo de vida fisicamente ativo.
  • Consumir uma dieta saudável, com ênfase em alimentos de origem vegetal.
  • Evitar ou limitar o consumo de álcool.

Essas ações também podem reduzir o risco de outros tipos de câncer.

Texto originalmente publicado no site da American Cancer Society, em 05/02/2018, livremente traduzido e adaptado pela Equipe do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive