Tipos de Câncer

Câncer em Adultos Jovens


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Efeitos Tardios do Tratamento do Câncer em Adultos Jovens

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 28/04/2014 - Data de atualização: 11/05/2020


Os adultos jovens que tiveram câncer têm um risco aumentado de apresentarem efeitos tardios do tratamento. É importante discutir os possíveis efeitos do tratamento com seu médico.

Os riscos dependem de vários fatores, como tipo de câncer, idade do paciente ao iniciar o  tratamento, tipos de tratamentos realizados e doses administradas. Alguns órgãos e sistemas do corpo podem ainda estar se desenvolvendo em adultos jovens, o que os torna mais sensíveis aos tratamentos, como a quimioterapia e a radioterapia.

Os efeitos tardios podem atingir mais de uma região do corpo ou mais de um órgão, podendo variar a intensidade de leve a severa. Esses efeitos podem incluir:

  • Comprometimento da fertilidade.
  • Aumento do risco de desenvolver outro tipo de câncer no futuro.
  • Problemas cardíacos ou pulmonares.
  • Problemas de audição ou visão.
  • Problemas com outros órgãos, como rins ou ossos.
  • Dor ou inchaço.
  • Deficiências hormonais.

Assim como o tratamento do câncer em adultos jovens requer uma abordagem especializada, o mesmo acontece com os cuidados posteriores em relação aos efeitos tardios. O acompanhamento após o término do tratamento permite aos médicos diagnosticar e tratar quaisquer efeitos tardios o mais precocemente possível. O cronograma desse acompanhamento dependerá não só do tipo de câncer e tratamentos realizados, bem como do risco dos efeitos tardios desses tratamentos.

É muito importante discutir todas as possíveis complicações do tratamento a longo prazo com seu médico, para se certificar de que existe uma maneira de gerenciá-los e, se necessário, tratá-los.

Ao final do tratamento, é normal querer esquecer a doença e o tratamento, e voltar a ter a vida que se tinha antes do diagnóstico. Mas é muito importante entender que um acompanhamento contínuo com seu médico é uma parte fundamental deste processo e lhe proporcionará a melhor chance de uma recuperação completa e sobrevida a longo prazo.

Texto originalmente publicado no site da American Cancer Society, em 24/10/2019, livremente traduzido e adaptado pela Equipe do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive