Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Boehringer Bayer Janssen MSD Takeda Astellas UICC Libbs Abbvie Ipsen Sanofi Daiichi Sankyo GSK Avon Nestlé Servier Viatris


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Vacina contra câncer de mama tem resultados promissores

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 04/11/2022 - Data de atualização: 04/11/2022


Um artigo publicado na revista JAMA Oncology mostrou que uma vacina experimental contra o câncer de mama gerou uma forte resposta imunológica à proteína-chave do tumor. Os resultados, relatados pelos pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Washington em Seattle, sugerem que a vacina pode ser capaz de tratar diferentes tipos de câncer de mama.

"Como este não foi um ensaio clínico randomizado , os resultados devem ser considerados preliminares, mas os resultados são promissores o suficiente para que a vacina seja agora avaliada em um ensaio clínico randomizado maior", disse a principal autora, Dra. Mary "Nora" L. Disis, professora de medicina na Universidade de Washington e diretora do Instituto de Vacinas contra o Câncer.

O estudo avaliou a segurança de uma vacina que tem como alvo uma proteína chamada receptor 2 do fator de crescimento epidérmico humano (HER2).

A HER2 é encontrada na superfície de muitas células, mas, em até 30% dos cânceres de mama, a proteína é super produzida em até cem vezes a quantidade observada em células normais . 

Esses cânceres "HER2-positivos" tendem a ser mais agressivos e mais propensos a recorrer após o tratamento, mas a superprodução de HER2 também desencadeia uma reação imunológica que pode ser benéfica.

Especificamente, alguns pacientes com câncer de mama HER2-positivo que mostram um certo tipo de resposta imunológica são menos propensos a ver seu câncer se repetir após o tratamento e têm sobrevida mais longa do que outros pacientes.

Para estimular esse tipo de resposta do organismo, Disis e seus colegas criaram uma vacina de DNA que, uma vez injetado, é absorvido pelas células no local da injeção, que por sua vez começam a produzir a proteína codificada nas instruções da vacina. 

As células então apresentam a proteína ao sistema imunológico, um processo com maior probabilidade de gerar uma resposta imune forte.

Sessenta e seis mulheres que tiveram câncer em metástase foram incluídas no estudo. Todas as mulheres completaram um curso padrão de terapia e alcançaram remissão completa ou apenas tinham tumor remanescente em seu osso, que tende a crescer lentamente.

As participantes do estudo foram divididas em três grupos com cada participante recebendo três injeções. Um grupo recebeu três injeções de baixa dose da vacina, um grupo recebeu três injeções com dose intermediária, e um grupo, três injeções de alta dose. 

As participantes foram então acompanhadas por até 13 anos, para garantir que a vacinação não desencadeasse, ao longo do tempo, uma resposta autoimune contra outros tecidos saudáveis com HER2.

"Os resultados mostraram que a vacina era muito segura", disse Disis. “Na verdade, os efeitos colaterais mais comuns que vimos em cerca de metade dos pacientes foram muito semelhantes ao que você vê com as vacinas COVID: vermelhidão e inchaço no local da injeção e talvez febre, calafrios e sintomas semelhantes aos da gripe”.

A vacina também estimulou com sucesso a resposta imune desejada sem desencadear efeitos colaterais graves, com a resposta mais forte aparecendo em pacientes que receberam a dose média.

"Tenho grandes esperanças de que estejamos perto de ter uma vacina que possa efetivamente tratar pacientes com câncer de mama ".

Fonte: Terra



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive