Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Uma força para vencer o câncer

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 15/05/2013 - Data de atualização: 15/05/2013


O diagnóstico de câncer vem acompanhado de dor, dúvidas e muitas vezes preconceitos. Algumas pessoas ainda associam a doença à morte e não conseguem nem pronunciar seu nome. Para a psico-oncologista Luciana Holtz, criadora da ONG Oncoguia, o estigma que o nome carrega deve ser abandonado. "Esse medo irracional que as pessoas têm do câncer acaba criando uma resistência em buscar informação e fazer prevenção. Muitas delas não sabem muita coisa sobre a doença e as dúvidas só servem para aumentar o medo”, explica.

Foi para responder às perguntas das pessoas diagnosticadas com câncer e de seus parentes que Luciana criou em 2003, com a ajuda de amigos e especialistas, o portal Oncoguia. Hoje, o site é uma ONG com atendimento on-line e pelo telefone, esclarecendo detalhes sobre o câncer e explicando aos pacientes seus direitos e deveres. "Muitas pessoas não sabem que pacientes com câncer têm direitos especiais, como isenção de impostos e transporte público gratuito”, conta o advogado Tiago Matos, diretor jurídico da ONG.

O outro lado

A advogada Márcia Fleury teve um diagnóstico de melanoma – tipo de câncer de pele – em 2007. Em 2008 teve metástase no fígado. Foi quando descobriu o Oncoguia, por meio de uma amiga. "Eu me apaixonei pelo site, achei muito informativo e importante, especialmente nas campanhas de prevenção. Tive câncer de pele e acho superimportante orientar as pessoas para que usem filtro solar”, conta Márcia. Ela participou voluntariamente de uma das campanhas veiculadas no site e vem tendo resultados positivos no tratamento.
Obter informação foi essencial para a historiadora Margareth Martins. "Eu fui diagnosticada com câncer de mama agressivo e fui atrás de me informar. Aprendi muito sobre a doença e quando soube que o câncer havia se espalhado não me assustei muito. Eu conhecia os riscos. Não é fácil, mas lido bem com o tratamento e luto muito”, conta Margareth.

Matéria publicada no Jornal Diário de São Paulo em 10 de junho de 2012.


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive