Tipos de Câncer

Mieloma Múltiplo

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Tratamentos de Suporte para Pacientes com Mieloma Múltiplo

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 29/06/2015 - Data de atualização: 14/05/2018


Alguns tratamentos de suporte para pacientes com mieloma múltiplo que podem ser considerados incluem:

  • Imunoglobulina intravenosa. Os pacientes com mieloma múltiplo têm com frequência diminuição dos níveis de anticorpos (imunoglobulinas) dificultando o combate às infecções. Isso pode levar a problemas como infecções pulmonares e/ou sinusite. Esses pacientes podem receber anticorpos de doadores, via intravenosa, para aumentar seus níveis e assim evitar infecções. Os anticorpos indicados são denominados IVIG ou imunoglobulina intravenosa, que são administrados, inicialmente, uma vez por mês, mas dependendo dos resultados dos exames de controle podem ser administrados com intervalo de tempo menor.

  • Tratamento para diminuição das taxas sanguíneas. Alguns pacientes desenvolvem anemia em função do próprio mieloma ou de seu tratamento. Esses pacientes apresentam cansaço, tontura ou falta de ar ao caminhar. Esses sintomas podem ser tratados com transfusões. A eritropoietina e a darbepoetina são medicamentos que elevam as taxas sanguíneas, reduzindo a necessidade de transfusões sanguíneas em alguns pacientes que estão fazendo quimioterapia. Mas, esses medicamentos não são utilizados com frequência, porque estão associados a uma diminuição da sobrevida em alguns pacientes com tumores linfoides, como o mieloma múltiplo.

  • Plasmaferese. A plasmaferese é uma técnica utilizada para separar o plasma sanguíneo dos outros elementos do sangue por centrifugação para fins terapêuticos. Neste procedimento as células do sangue são separadas do plasma sanguíneo e em seguida devolvidas ao paciente. O plasma removido contém a proteína do anticorpo patológico produzido pelas células do mieloma, e é substituído por uma solução salina contendo plasma de doadores. A plasmaferese é útil quando determinadas proteínas do mieloma causam o espessamento do sangue, prejudicando a circulação (hiperviscosidade). Embora a plasmaferese possa aliviar alguns sintomas, não destrói as células do mieloma. Por essa razão, a plasmaferese é geralmente seguida por tratamento quimioterápico ou algum outro tipo de terapia para destruir as células que produzem a proteína.

Fonte: American Cancer Society (28/02/2018)


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive