Tipos de Câncer

Câncer de Vagina

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Radioterapia para Câncer de Vagina

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 03/10/2015 - Data de atualização: 18/05/2018


A radioterapia é o tratamento mais utilizado para o câncer de vagina. O tratamento radioterápico utiliza radiações ionizantes de alta energia para destruir ou inibir o crescimento das células anormais que formam um tumor.

Radioterapia com Feixe Externo

A radioterapia externa consiste na irradiação do órgão alvo com doses fracionadas. O tratamento é realizado cinco vezes na semana, durante um período de algumas semanas a meses. É o tratamento mais comum para câncer de vagina.

Braquiterapia Intracavitária


Outra técnica radioterápica é a braquiterapia intracavitária, que consiste na inserção do material radioativo no interior da vagina. Os dois principais tipos de braquiterapia são de baixa taxa de dose (LDR) e alta taxa de dose (HDR). No tratamento de baixa taxa de dose, o material radioativo permanece no local por um dia ou dois. Na braquiterapia de alta taxa de dose, a fonte de radiação não precisa permanecer no local por muito tempo e pode ser administrada em regime ambulatorial, em 3 a 4 dias, com 1 ou 2 semanas de intervalo.

Outro tipo de braquiterapia é a intersticial, que consiste no uso do material radioativo em forma de agulhas que são colocadas diretamente no tumor e tecidos adjacentes.

Possíveis Efeitos Colaterais


A radiação é mais prejudicial para as células tumorais do que para as células normais, mas mesmo assim, o tecido normal também é danificado. Os efeitos colaterais dependem da área irradiada, da dose administrada e da forma como a radiação é administrada.

      Efeitos Colaterais de Curto Prazo


Os efeitos colaterais comuns da radioterapia de curto prazo podem incluir:

  • Cansaço.
  • Náuseas e vômitos.
  • Diarreia.
  • Alterações na pele.
  • Diminuição das taxas sanguíneas.

Quando a radioterapia é administrada simultaneamente com a quimioterapia, os efeitos colaterais são muitas vezes mais intensos.

      Efeitos Colaterais de Longo Prazo

A radioterapia para o câncer de vagina também pode provocar alguns efeitos colaterais de longo prazo, sendo que muitos são causados ​​por danos aos órgãos próximos. Por exemplo, a radioterapia pélvica pode danificar os ovários, levando à menopausa precoce. Também pode enfraquecer os ossos, tornando-os mais propensos a fraturas ou outras lesões.

A radioterapia da região pélvica também pode provocar colite (irritação no intestino e no reto), levando à diarreia e fezes com sangue. Também pode provocar problemas na bexiga (cistite por radioterapia), levando ao desconforto e desejo de urinar com frequência. Em casos raros, a radiação pode causar fístulas entre a vagina e a bexiga, o reto ou o útero.

Se provocar problemas alterações na pele, por exemplo, a pele pode se tornar mais escura e mais áspera após a radioterapia. O pelo nem sempre volta a crescer na região irradiada.

A radiação pode provocar irritação e dor no tecido normal da vagina. Após a radioterapia, o tecido cicatricial que se forma pode tornar a vagina mais curta ou mais estreita, o que se denomina estenose vaginal. Quando isso acontece, as relações sexuais podem se tornar dolorosas.

Fonte: American Cancer Society (19/03/2018)


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive